in

57% dos portugueses privilegiam produtos fabricados em território nacional

Produção nacional e europeia no sector da tecnologia é reduzida

Foto Shutterstock

No momento de compra, a maioria dos consumidores (57%) parece preferir o consumo de bens produzidos em Portugal. Segundo dados do Observador Cetelem Consumo, metade dos consumidores expressam preferência por produtos fabricados nos respetivos países.

Mas as compras de um em cada cinco europeus não são influenciadas pela origem dos produtos, com maior expressão entre britânicos (34%), belgas (34%) e espanhóis (30%). Por outro lado, os países em que os consumidores dão mais valor à proveniência são a Itália (90%), a Bulgária (88%) e a Áustria (87%). Em Portugal, 79% dos consumidores dão importância à origem dos produtos.

Quando se trata de avaliar a disponibilidade de produtos locais em diversos sectores (alimentar, lazer, higiene e beleza, têxtil e tecnologia) as opiniões voltam a dividir-se. Relativamente aos produtos alimentares, a opinião é praticamente unânime e 93% dos europeus constatam a disponibilidade dos produtos locais. 96% dos consumidores portugueses têm a mesma opinião.

Sobre o sector de produtos para o lar, mais de metade dos europeus (59%) considera existir uma grande disponibilidade de produtos locais, embora sejam observadas diferenças relevantes entre os países inquiridos. Em Portugal, 76% dos consumidores dizem que há uma quantidade considerável de oferta de produtos para o lar no mercado.

No domínio dos têxteis, 79% dos portugueses expressam uma opinião favorável face à disponibilidade, resultado que pode ser influência da tradição de fabrico no país e que é a percentagem mais expressiva entre os países europeus, sendo a média de 54%. Neste capítulo, os franceses são os que mais reservas expressam (30%).

É no sector tecnológico que os europeus mais questionam a disponibilidade de produtos locais (35%), colocando em evidência a dependência do bloco europeu face a outros, seja o norte-americano, seja o asiático. Os portugueses parecem seguir a mesma tendência, com apenas 32% dos consumidores a afirmar que existe tecnologia produzida em Portugal. Os mais otimistas nesta matéria são os romenos, com metade dos inquiridos a percecionar a existência de uma oferta local neste sector. E, pelo contrário, apenas um em cada cinco franceses parecem partilhar esta opinião.

Publicidade

Publicidade

Volume de vendas do mercado de comércio a retalho aumentou 73%

Zippy chega a 40 mil famílias finlandesas