in ,

50% dos portugueses sofre de excesso de peso

Foto Shutterstock

A The 1:1 Diet by Cambridge Weight Plan acaba de entrar no mercado nacional, promovendo um estudo com mil inquiridos sobre o peso e avaliação de hábitos alimentares e estilos de vida da população portuguesa. Segundo os dados recolhidos, 50% dos portugueses considera que tem peso a mais, sendo que quatro em cada 10 adultos portugueses gostariam de perder peso (46%), subindo para 64% aqueles que se consideram “um pouco acima do peso” e para 81% os “muito acima do peso”.

Comparando os géneros, pouco mais de metade das mulheres portuguesas, no geral quer perder oeso (53%) contra 38% dos homens portugueses. Este desejo de emagrecer aumenta com a idade, com apenas um terço (33%) da faixa etária dos 21 aos 28 anos contra 53% dos maiores de 58 anos.

As zonas Norte, Centro e Alentejo são as áreas geográficas com mais indivíduos com excesso de peso. Coimbra e Centro destacam-se com 56%, Porto e Norte apresentam 52%, o Alentejo 50%, a zona de Lisboa 46% e o Algarve tem 32% de indivíduos com excesso de peso.

 

Saúde

A questão da saúde ganhou destaque, com três quartos dos adultos portugueses (75%) a quererem perder peso para serem mais saudáveis.

No que diz respeito a dietas, três em cada 10 adultos portugueses (30%) concordam que não conseguem fazer dieta sozinhos, sem ajuda de outros, sendo que, muitas vezes, é preciso uma ocasião/altura do ano especial, como depois do Natal ou antes das férias de verão, para perder peso, tal como assumem quase três em cada 10 dos adultos portugueses (29%).

Pouco mais de um terço dos adultos portugueses (35%), concorda que quando faz dieta, nunca resulta em mudanças duradouras, aumentando para 45% dos que querem efetivamente perder peso. Aqui, a questão tem que ver com o facto da dita dieta de emagrecimento não dever visar somente uma rápida perda de peso, mas antes uma correção gradual dos hábitos alimentares, de forma a garantir que os resultados sejam duradouros.

No entanto, a maioria das pessoas não tem presente esta questão (importância da alteração dos hábitos alimentares para perder peso), já que pouco mais de um quarto dos adultos portugueses (26%) concorda que acaba por sofrer o chamado “efeito ioiô”, no qual a perda de peso é seguida de uma recuperação rápida do peso inicial, aumentando para 30% dos que querem perder peso.

E é sabido que a questão do peso acaba por afetar não só a parte física, mas também a nível psicológico/emocional. O estudo da 1:1 Diet demonstra, precisamente, que pouco mais de metade dos adultos portugueses (53%) concorda que, quando se sente acima do peso, isso influencia negativamente o seu humor, aumentando para 63% dos que querem perder peso. Ainda nesta linha, pouco mais de dois terços dos adultos portugueses (68%) se sente frustrado quando faz dieta e não tem resultados.

 

Pandemia teve influência no peso

35% dos adultos portugueses confirma ter ganho peso durante o confinamento. Entre aqueles que ganharam peso durante este período, o aumento médio de peso foi de sete quilos.

Em relação aos efeitos do excesso de peso, estes foram desde logo percetíveis: entre aqueles que ganharam peso durante o confinamento, 63% afirma que os seus níveis de energia baixaram, 50% diz que o seu bem-estar piorou, 44% refere alterações no sono, 37% menciona que a sua saúde, no geral, piorou e, por fim, 22% afirma que a capacidade do seu corpo prevenir doenças e infeções baixou, como resultado do ganho de peso durante este período.

A questão da motivação – ou foco, fatores muito importantes quando se inicia um processo de emagrecimento – foi também referida, com quase seis em cada 10 adultos portugueses (58%) a concordar ser mais fácil fazer dieta se tiverem alguém a motivar. “Na verdade, em qualquer processo de emagrecimento, é essencial haver um acompanhamento personalizado por parte de um profissional, não só para ir avaliando se está tudo a correr conforme o esperado – medir objetivos e resultados -, mas, depois, para fazer eventuais ajustes e para a tal questão do reforço da motivação, que é também muitíssimo importante”, esclarece Mark Gilbert, Nutricionista da The 1:1 Diet by Cambridge Wealth Plan.

O fator idade não ficou de lado, com pouco mais de metade dos adultos portugueses (52%) assumir que tem mais dificuldade em perder peso à medida que envelhece.

Por fim, pouco mais de um quinto dos adultos portugueses (21%) afirma ter seguido um plano de emagrecimento nos últimos 12 meses. “Este estudo, levado a cabo pela The 1:1 Diet, é realmente demonstrativo da vontade, por parte de muitos portugueses, de perder peso, facto que está diretamente relacionado com a questão da sua saúde e bem-estar. Os dados recolhidos mostram que houve, efetivamente, um aumento bastante considerável de peso nos últimos dois anos, uma das muitas consequências negativas da pandemia, pelo que se torna urgente contrariar esta tendência que, como se viu, tende a aumentar com a idade”, conclui  António Gil, Country Manager The 1:1 Diet by Cambridge Weath Plan em Portugal.

 

The 1:1 Diet by Cambridge Weigh Plan

A The 1:1 Diet by Cambridge Weight Plan é uma empresa e um programa de dieta que auxilia na perda e manutenção do peso, a longo prazo, que teve início na década de 1960, quando o bioquímico Alan Howard começou a pesquisar a “dieta perfeita”. O conceito de perda de peso desta dieta baseia-se num plano de etapas, que combina substitutos de refeição com um acompanhamento personalizado por parte consultores devidamente certificados. Neste momento, a The 1:1 Diet é vendida em mais de 30 países em todo o mundo.

Publicidade

Joaquim Vale

Santos e Vale celebra o seu 40.º aniversário

Electrolux

Grupo Electrolux reduz em 78% as emissões de gases com efeito de estufa nas suas operações