in

27% dos portugueses vão gastar metade ou mais do subsídio de Natal

De acordo com o estudo Observador Cetelem Natal, 27% dos portugueses contam gastar metade ou mais do seu subsídio neste período. De referir ainda que 22% dos portugueses dizem não ter a intenção de gastar nenhuma parte do subsídio.

Dos 27% que assumem gastar mais ou metade do seu subsídio de Natal, 11% indica gastar a totalidade desse valor, 10% entre 50% e 75% do subsídio e os restantes 6% mais de 75% do 13.º salário.

Pedro Camarinha, diretor Distribuição do Cetelem, assinala que “a utilização do subsídio é natural numa altura como o Natal, em que há uma maior predisposição para consumir. Contudo, é preciso ter em conta que um quinto dos inquiridos referiu não ter a intenção de gastar nenhuma parte do subsídio, o que pode significar uma gestão orçamental mais cautelosa ou a utilização desse valor para fazer face a outras despesas”.

Na hora de pagar as compras, o desconto direto no preço continua a ser a oferta mais valorizada, referida por 60% dos inquiridos, enquanto o reembolso de parte de valor pago (cash-back) é mencionado por 20% dos inquiridos e o crédito sem juros por 19%. Relativamente à opção de início de pagamento dois meses após a compra, verifica-se uma percentagem de respostas na ordem dos 8%.

Numa análise mais detalhada, o desconto direto nos produtos é mais valorizado na região Norte (69%), no Grande Porto (45%), na região Centro (58%) e na região Sul (66%). Já o reembolso de parte do valor pago é a escolha para 26% dos inquiridos no Grande Porto e 20% na zona Centro. Finalmente, o crédito sem juros reúne as preferências de 34% dos respondentes no Porto e 26% no sul.

Publicidade

Publicidade

Philips lança máquina de café expresso 5000 LatteGo

ASAE instaura 51 processos no sector da panificação