in

175 projetos a concurso na nova edição do Donativo Missão Continente

A iniciativa da Missão Continente, que visa apoiar projetos de impacto social nas áreas da alimentação saudável, desperdício alimentar e inclusão social, recebeu 175 candidaturas de projetos de norte a sul do país e ilhas.

O Donativo Missão Continente é um concurso que pretende financiar iniciativas locais que trabalhem com a comunidade para, por exemplo, formar os cidadãos para a adoção de uma alimentação saudável, lutar contra o desperdício alimentar através do reaproveitamento de excedentes alimentares ou integrar social ou profissionalmente grupos de risco através do sistema alimentar.

Até dia 27 de dezembro, decorre a primeira fase de avaliação dos projetos que consiste numa votação online pública, feita diretamente no site www.missao.continente.pt. Durante este período, todos têm a oportunidade de votar no seu projeto preferido, contribuindo para que seja um dos selecionados.

A segunda fase de avaliação será levada a cabo por um júri especializado, que analisará todos os projetos candidatos de forma aprofundada. O júri é composto por representantes da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa, da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar, da Direção Geral da Saúde, do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e do GRACE – Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial. A avaliação dos projetos será feita de acordo com a justificação, relevância, coerência, sustentabilidade e adequação ao público-alvo do projeto.

O valor distribuído pelos projetos vencedores está a ser angariado através da venda de dois presentes de Natal solidários, disponíveis em todas as lojas Continente.

Na edição 2017/2018 foram distribuídos 330 mil euros por 22 projetos vencedores, entre os quais estão ideias como o projeto “Para Bem Crescer à Horta Vamos Colher” da Obra D. Josefina de Proteção à Criança e Formação Doméstica, que recuperou estufas ardidas para a produção de frutas e legumes para consumo interno e para atividades com crianças. Outro projeto vencedor foi “Restolho – Uma segunda colheita para que nada se perca!” da AGROTEJO, que recupera alimentos de terrenos agrícolas sem potencial comercial, doando-os a bancos alimentares da região. Destaque ainda para o projeto “Ateliê de Doçaria” da AFACIDASE na Serra da Estrela, que promove a inserção profissional de pessoas com deficiência através de formação na área da doçaria.

Publicidade

Publicidade

El Corte Inglés espera crescimento nas vendas de brinquedos

Arla compra negócio de queijos da Mondelez no Médio Oriente e Norte de África