in

WWF e Jerónimo Martins unem-se para proteger espécies emblemáticas

A WWF – World Wide Fund for Nature e o Grupo Jerónimo Martins uniram-se para apoiar a proteção de algumas espécies animais emblemáticas, como forma de comemorar três datas simbólicas para a conservação ambiental.

Esta parceria materializa-se numa campanha de angariação de fundos através da venda de vales nas lojas Pingo Doce, em Portugal, Ara, na Colômbia, e Biedronka, na Polónia, e irá decorrer até ao final de julho. O valor angariado reverterá na íntegra para a proteção de três espécies endógenas de cada um destes países.

Até ao dia 22 de maio, em que se celebra o Dia Internacional da Biodiversidade, vão estar disponíveis nas caixas de pagamento de todas as lojas do Pingo Doce vales de um, dois e três euros, que serão aplicados em projetos de protecção de cavalos-marinhos, linces e lobos ibéricos. Estas espécies, cuja presença no ecossistema português se encontra comprometida, são o foco de alguns dos projetos de conservação levados a cabo pela ANP|WWF em Portugal. A implementação desta iniciativa em Portugal resulta da parceria entre a ANP|WWF – Associação Natureza Portugal, em associação com a World Wide Fund for Nature e o Grupo Jerónimo Martins.

Para Ângela Morgado, da ANP|WWF, “esta é uma campanha inovadora em Portugal. É a primeira vez que uma orgnização não governamental de ambiente se junta a uma empresa de distribuição através da produção de vales que podem ser adquiridos pelos clientes das lojas Pingo Doce para apoiar projetos ambientais e espécies emblemáticas nacionais que estão em perigo”.

O cavalo-marinho é uma das espécies mais frágeis do mundo devido a causas como, por exemplo, a pesca ilegal, a poluição e as alterações climáticas. No país, a população diminuiu drasticamente nos últimos 10 anos, tendência que a ANP|WWF pretende reverter através do projeto “Cavalos Marinhos Desconhecidos”. Com a compra do vale de oferta de um euro, a totalidade do valor reverte para este projeto.

O lince-ibérico, espécie endógena de Portugal e Espanha, é o felino mais ameaçado, existindo atualmente apenas 589 no mundo. Esta espécie e o lobo ibérico, cuja população em Portugal não excede os 300 elementos, são o foco do projeto “Grandes Carnívoros da Europa”, que visa a cooperação e a troca de informação transfronteiriça. A compra dos vales de dois euros e três euros, respetivamente, irá contribuir para a sua conservação em território nacional.

Em junho, para comemorar o Dia Mundial do Ambiente, os vales estarão à venda nas lojas Ara, na Colômbia, o segundo país com maior biodiversidade do mundo. O Dia Mundial da Conservação da Natureza, em julho, será celebrado na Polónia, através da venda dos vales nas lojas da Biedronka. Cavalos-marinhos, linces ibéricos e lobos ibéricos, em Portugal, jaguar, tartaruga-de-pente e urso-andino, na Colômbia, e lince-euroasiático, boto e urso-pardo, na Polónia, são as espécies que vão beneficiar desta parceria internacional entre a WWF e a Jerónimo Martins.

Até janeiro de 2020, a WWF irá divulgar um relatório para informar de que forma os donativos foram aplicados em cada um dos países.

Investimento em imobiliário comercial atinge 380 milhões de euros

Bens de grande consumo registam um dos mais elevados crescimentos do último ano