Retalho
in

Vendas do comércio a retalho europeu caem no arranque do ano

Em janeiro, o volume do comércio a retalho caiu 5,9% na zona euro e 5,1% no conjunto da União Europeia, em comparação com dezembro de 2020, segundo os dados do Eurostat. Em dezembro, as vendas tinham aumentado 1,8% na zona euro e 1,4% no conjunto da União Europeia.

Na zona da moeda única, as vendas caíram 12% para os produtos não alimentares e 1,1% para os combustíveis, enquanto aumentaram 1,1% para os alimentos, bebidas e tabaco. Já no conjunto da União Europeia, o volume do comércio a retalho contraiu 9,9% para os produtos não alimentares e 0,3% para os combustíveis, enquanto aumentou 1% para os alimentos, bebidas e tabaco.

Entre os Estados-membros para os quais existem dados disponíveis, as maiores descidas deste índice foram registadas na Áustria (-16,6%), na Irlanda (-15,7%) e na Eslováquia (-11,1%). Já as maiores subidas se observaram na Suécia (3,5%), na Bulgária (1,8%) e na Estónia (1,7%).

 

Portugal com uma das maiores quedas anuais

Em comparação com o mesmo mês de 2020, o volume do comércio a retalho, ajustado dos efeitos da sazonalidade, diminuiu 6,4% na zona da moeda única e 5,4% na União Europeia.

Na zona euro, o índice diminuiu 18,3% para os combustíveis e 13,6% para os bens não alimentares, mas, dentro desta categoria, os pedidos por correio e pela Internet aumentaram 39,1%. Nos alimentos, bebidas e tabaco, as vendas cresceram 5,9%.

Já no conjunto da União Europeia, o volume do comércio a retalho diminuiu 15,7% para o combustível e 11,5% para os produtos não alimentares, categoria onde, não obstante, as vendas por correio e pela Internet aumentaram 40%. Nos alimentos, bebidas e tabaco, o índice aumentou 5,4%.

Entre os Estados-membro para os quais existem dados disponíveis, as maiores descidas do índice foram registadas na Áustria e na Eslováquia, ambas de 16,8%. Na Eslovénia (-13%) e em Portugal (-10,9%). Já as maiores subidas verificaram-se na Estónia (8%), na Bélgica (4,2%) e na Finlândia (3,8%).

Os Mosqueteiros

Vendas do Grupo Os Mosqueteiros em Portugal atingem os 2,2 mil milhões de euros

Sustentabilidade

Covid-19 acelera maturidade do consumidor-cidadão