in

Vendas das H&M caem 21%

Foto Sorbis/Shutterstock

As vendas da cadeia sueca Hennes and Mauritz (H&M), contabilizadas em moeda local, caíram 21%, no seu primeiro trimestre fiscal, compreendido entre dezembro e fevereiro, face ao homólogo, devido aos efeitos da pandemia.

Neste período, a faturação totalizou 40.060 milhões de coroas suecas (3.946 milhões de euros). “A evolução das vendas foi fortemente influenciada pela situação da Covid-19, com amplas restrições que provocaram o encerramento de até 1.800 lojas”, diz a H&M em comunicado.

 

Março com subida das vendas

A cadeia ressalva que, desde o início de fevereiro, vários mercados registaram uma reabertura sucessiva, pelo que, no final do trimestre, o número de lojas encerradas tinha reduzido para 1.300. Além disso, as vendas online continuaram a desenvolver-se muito positivamente.

A Alemanha, o principal mercado da H&M, reabriu parcialmente os estabelecimentos de bens considerados não essenciais, o que permitiu que, a 13 de março, o número de lojas que se mantêm encerradas tenha descido para 900.

Entre 1 e 13 der março, as vendas contabilizadas em moeda local cresceram 10% face ao homólogo de 2020.

Publicidade

Martini

“Mensagem Numa Garrafa” é a nova campanha da Martini

Lidl

Proprietário do Lidl lança mini-loja sem caixas