in

Vendas da Sonae crescem 6%

O volume de negócios consolidado da Sonae no primeiro trimestre alcançou os 1.215 milhões de euros, num aumento de 6% face ao período homólogo de 2015, beneficiando, principalmente, do desempenho positivo dos negócios de retalho. “O primeiro trimestre de 2016 na Sonae ficou marcado pelo crescimento dos níveis de atividade dos negócios de maior dimensão, acompanhado por significativos acréscimos de produtividade das vendas em universos comparáveis. Mesmo descontado o efeito favorável de antecipação da Páscoa e do ano bissexto, os resultados obtidos são muito positivos tendo em consideração o abrandamento do crescimento económico na Península Ibérica e a elevada agressividade concorrencial que se verifica nestes sectores”, analisa 
Ângelo Paupério, Co-CEO da Sonae.

No retalho alimentar, o volume de negócios da Sonae MC alcançou os 830 milhões de euros, mais 4,6% quando comparado com primeiro trimestre de 2015 e reforçando a sua quota de mercado. A variação de vendas no universo comparável de lojas ascendeu a 1,4%, mantendo a evolução positiva verificada no quarto trimestre do ano passado.

Foi concretizada a abertura de novas lojas, entre as quais três Continente Bom Dia e seis lojas Meu Super. Adicionalmente, em março, a Sonae MC abriu um novo hipermercado, com 6.500 metros quadrados, sob o novo conceito “hipermercado do futuro 2020”.

De referir que o volume de negócios no primeiro trimestre beneficiou também de um efeito positivo de calendário relacionado com a existência de um dia adicional em fevereiro.

No retalho especializado, o volume de negócios da Sonae SR situou-se em 331 milhões de euros, aumentando 10,9% quando comparado com o primeiro trimestre de 2015. Esta evolução foi motivada por um aumento de 3,5% na Worten e por um forte crescimento de 28,2% em Sports and Fashion.

Na Worten, a operação ibérica aumentou o volume de negócios em 3,5%, para 216 milhões de euros. Este desempenho permitiu à Worten reforçar a sua posição de liderança em Portugal e, ao mesmo tempo, manter a evolução positiva das vendas por metro quadrado em Espanha.

Na divisão de Sports and Fashion, o volume de negócios aumentou 28,2%, para 115 milhões de euros, para o qual o contributo da Losan, uma empresa especializada em “wholesale” adquirida no quarto trimestre de 2015, foi relevante. A divisão continuou a aumentar as vendas por metro quadrado, comprovando a estratégia de otimização do parque de lojas, especialmente em Espanha.

A Sport Zone continuou a registar rentabilidade positiva em Espanha e a Zippy continuou a expandir a sua presença internacional, aumentando, em termos homólogos, o número de lojas nos países onde já se encontra presente e expandindo a sua atividade “wholesale” para um número maior de países.

Adicionalmente, é de frisar a crescente relevância e autonomia de algumas marcas exclusivas como a Berg e a Deeply, cada qual com uma plataforma online, atualmente.

A Sonae RP, unidade de imobiliário de retalho, completou três operações de “sale and leaseback” no valor de 230 milhões de euros, equivalentes a um ganho de capital de aproximadamente 64 milhões de euros.

Na Sonae IM, unidade de gestão de investimentos, a Wedo Technologies adquiriu quatro novos clientes de telecomunicações (nas regiões da Europa, Ásia, Pacífico, Estados Unidos da América e África), continuando a ampliar a sua base de clientes a nível mundial. A S21sec continuou a trabalhar a notoriedade da sua marca, evidenciando a sua relevância no mercado de cibersegurança, tendo aumentado as receitas fruto de um bom desempenho ao nível das encomendas no final de 2015. O trimestre também foi marcado por um aumento significativo das encomendas e rentabilidade da Saphety, acompanhado de uma boa atividade comercial com a angariação de novos contratos relevantes, sendo que a empresa possui, atualmente, mais de 8.500 clientes e 129 mil utilizadores em cerca de 26 países. A Bizdirect continuou a desenvolver o seu Centro de Competências de Viseu, que possui, atualmente, 15 clientes internacionais de 10 países, tendo triplicado o volume de negócios face ao primeiro trimestre. A Movvo aumentou a sua presença internacional, reforçando a sua equipa de vendas na Europa e na Ásia e fechando uma parceria estratégica para o mercado norte-americano. Consequentemente, a Movvo construiu boas perspetivas provenientes dos Estados Unidos da América e, em particular, na Ásia, tendo angariado sete novos clientes em mercados como o Panamá, Estados Unidos da América e China.

É de salientar que a Sonae IM concluiu recentemente uma parceria com a Bright Pixel, um “company builder studio” com dois objetivos: transformar a maneira como as empresas concebem a inovação e transformar a forma como os novos projetos empresariais são lançados. Esta empresa está posicionada para trabalhar com o grupo Sonae, assim como com outros “players” do sector, o crescente ecossistema de “start-ups”, unidades de inovação de desenvolvimento, universidades e investidores de todo o mundo.

Nos centros comerciais, o resultado direto da Sonae Sierra situou-se em nos 15 milhões de euros, aumentando 2,4% face ao primeiro trimestre de 2015, e o resultado líquido melhorou 31,3%. As vendas de lojistas na Europa aumentaram 4%, para 710 milhões de euros, correspondendo a um crescimento de 5,3% no universo comparável de lojas, e a taxa de ocupação fixou-se nos 96%, 0,3 pontos percentuais acima do trimestre homólogo.

Nas telecomunicações, as receitas operacionais da NOS aumentaram 7,6% face ao 1T15, para 370 milhões de euros, evidenciando uma aceleração da tendência de aumento em termos homólogos.

Em termos consolidados, o underlying EBITDA da Sonae totalizou 46 milhões de euros e o EBITDA situou-se em 120 milhões de euros, crescendo 67,8% e sendo equivalente a uma margem EBITDA de 9,9%. O resultado direto da Sonae totalizou a 43 milhões de euros e o resultado indireto foi negativo em 15 milhões de euros. O resultado líquido atribuível a acionistas totalizou 30 milhões de euros, crescendo 51,6%. “Esta evolução positiva traduz forte crescimento das vendas nos negócios de retalho alimentar e especializado, a internacionalização dos diferentes negócios, o sucesso nas operações de “sale & leaseback” e a forte solidez financeira”, analisa a Sonae.

A dívida líquida da Sonae diminuiu 168 milhões de euros face ao primeiro trimestre de 2015, para 1.309 milhões de euros. Não estão previstas necessidades de refinanciamento para os próximos 18 meses.

O investimento realizado atingiu os 58 milhões de euros, crescendo cerca de dez milhões de euros face ao registado no período homólogo.

Publicidade

Publicidade

Grupo Metro fecha 1.º semestre com vendas em queda

Vendas omnicanais representam 21% do volume de negócios da Worten