in

Sonae aumenta lucros para 142 milhões de euros

A Sonae registou um resultado líquido de 142 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, num crescimento de quase 50% face a igual período do ano anterior. Resultado justificado pela Sonae com o “forte desempenho operacional da NOS e a qualidade dos ativos da Sonae Sierra e da Sonae RP, bem como o esforço do retalho para oferecer a melhor proposta de valor e a aposta crescente na internacionalização dos seus negócios”.

Entre janeiro e setembro, o volume de negócios registou uma melhoria de 0,8% para os 3.639 milhões de euros. O EBITDA passou de 293 milhões de euros para 292 milhões de euros. Já o resultado direto cresceu 10,4% para os 102 milhões de euros. “No terceiro trimestre, a evolução da atividade económica nos nossos principais mercados foi claramente diferenciada, mantendo-se tímida em Portugal, mais sólida em Espanha e sob grande pressão no Brasil. 
Neste contexto, também os negócios apresentaram performances diferenciadas, com a Sonae MC a atuar num ambiente de extrema agressividade concorrencial mas a manter bons níveis de rentabilidade e a progredir no reforço da sua proposta de valor, buscando maior reconhecimento de liderança de preços, num esforço que se espera possa produzir resultados já nos próximos trimestres. 
No setor da eletrónica, a evolução dos mercados na Ibéria foi de sinal oposto, tendo a contração do mercado em Portugal sido parcialmente compensada por mais um trimestre com crescimento de quota de mercado, ao mesmo tempo que o contributo da operação espanhola melhorou significativamente”, analisa Ângelo Paupério, co-CEO do grupo liderado por Paulo Azevedo.

No retalho alimentar, o volume de negócios totalizou 2.549 milhões de euros, num aumento de 0,5% face a idêntico período do ano anterior. As vendas com cartão representam mais de 90% das vendas totais e as vendas online mantiveram a tendência de crescimento, aumentando 13%. No negócio de proximidade, as 183 lojas Meu Super apresentaram um crescimento de vendas de 6,1%.

No retalho especializado, o volume de negócios ascendeu a 917 milhões de euros, aumentando 0,4% nos três primeiros trimestres. A unidade internacional aumentou o volume de negócios em 7%, impulsionado pelas divisões de electrónica e desporto em Espanha. A Sonae SR continuou a otimizar o seu parque de lojas, em linha com a estratégia omnicanal, contribuindo para o aumento das vendas por metro em termos homólogos e para o crescimento de 58,7% das vendas online consolidadas, impulsionado pelas plataformas de “e-commerce” de todos os negócios.

A Worten aumentou a quota de mercado em 60 pontos base em Portugal e registou, terceiro trimestre, um crescimento de 8,6% das vendas em Espanha numa base comparável, beneficiando das medidas implementadas ao longo dos últimos anos. A Zippy entrou em quatro novos países da América Central através de wholesale: El Salvador, Costa Rica, Nicarágua e Guatemala, com um total de 14 lojas. A Sport Zone continuou a expandir a sua presença internacional com a abertura da primeira loja franquiada em França, depois de este ano já ter aberto a primeira loja na Índia.

O investimento das unidades de retalho da Sonae (Sonae MC, Sonae SR e Sonae RP) aumentou 29,5%, atingindo os 158 milhões de euros. A Sonae prosseguiu a aposta na expansão das suas insígnias através da implementação de novos formatos de loja e de uma estratégia omnicanal que conjuga lojas físicas e online, bem como do desenvolvimento da atividade internacional.

Publicidade

Publicidade

Mondeléz fecha fábrica de Mem Martins

Lucros da Jerónimo Martins crescem para 252 milhões de euros