in

Vendas da BSH crescem 3,5%

A multinacional alemã BSH Hausgeräte, GmbH, dona das marcas de eletrodomésticos Bosch e Siemens, concluiu o ano fiscal de 2016 com vendas de 13.100 milhões de euros, valor que representa um crescimento de 3,5%, 7,1% excluindo o efeito da moeda.

Com estes resultados, a empresa reafirma a sua posição de liderança europeia e o número 2 mundial, no ano em que celebra o seu 50.º aniversário.

Graças ao bom desempenho em todas as regiões, foi atingido um recorde de faturação. A BSH conseguiu crescer 4,8% na Europa, em moeda local, e 2,8% em euros. Na região da Ásia-Pacífico, o forte crescimento da procura de eletrodomésticos na Índia deu um impulso de 9,3% nas vendas. Na Grande China, que agrupa china, Hong Kong e Taiwan, as vendas cresceram 7,7%. Já no mercado norte-americano, as vendas aumentaram 2,6%. Outras zonas, como a Turquia, Médio Oriente, África e Rússia, registaram uma evolução de 15,8%.

Os gastos em investigação e desenvolvimento representaram 4,4% da faturação em 2016. No ano passado, foi inaugurado o novo centro tecnológico em Bangalore, na Índia, e as atividades em Nanjing, na China, também foram ampliadas.

O grupo considera que as soluções e serviços digitais para o lar são áreas de crescimento potencial. Com a Home Connect, a BSH é capaz de conectar toda a gama de eletrodomésticos. Desde o final do ano passado, a colaboração com o Amazon Alexa permite aos consumidores controlar por voz os seus equipamentos. Além disso, a BSH está a desenvolver o assistente pessoal de cozinha Mykie.

Publicidade

Publicidade

Danone autorizada a comprar a WhiteWave Foods

Amazon pode abrir lojas de eletrodomésticos