in

UE deve ser mais eficiente na luta contra o desperdício de alimentos

Os auditores do Tribunal de Contas da União Europeia afirmam que a UE pode, e deve, tornar mais eficiente o combate ao desperdício de alimentos. Embora várias políticas tenham sido concebidas para combater o desperdício alimentar, o seu potencial não foi explorado, de acordo com um novo relatório.

As medidas tomadas até agora têm sido fragmentadas e intermitentes e os vários serviços da Comissão Europeia não são coordenados. A mais recente proposta para abordar o desperdício de alimentos, que consiste na criação de uma plataforma, não aborda totalmente as questões levantadas no relatório, dizem os auditores.

O desperdício de alimentos é um problema universal que requer uma ação em todos os níveis. As estimativas atuais indicam que no mundo se desperdiça ou se perde cerca de um terço dos alimentos produzidos para consumo humano, com enorme custo económico e ambiental.

Progressos até à data têm sido dificultados pela ausência de uma definição comum de “desperdício de alimentos” e a falta de um ponto de partida consensual para planear o seu declínio. “O nosso relatório à Comissão destacou várias oportunidades não exploradas e potenciais melhorias que não requerem novas iniciativas legislativas ou fundos públicos adicionais“, afirma Bettina Jakobsen, um membro do Tribunal de Contas Europeu responsável pelo relatório. “No entanto, ao centrar os seus esforços na construção de uma plataforma, mais uma vez a Comissão perde uma oportunidade para resolver o problema de forma eficaz. Agora é preciso um melhor ajuste das políticas existentes, uma maior coordenação e um objetivo político claro para reduzir o desperdício de alimentos“, acrescenta.

No seu relatório, os auditores examinaram como as políticas em curso poderão ser implementadas de forma mais eficaz e recomendaram que a Comissão Europeia reforce a estratégia para combater o desperdício de alimentos que também deve ser melhor coordenada e ter um plano ação para os próximos anos. Também pedem uma definição clara do desperdício de alimentos e que se considere o mesmo nas suas futuras avaliações de impacto. Além disso, pedem para identificar e superar os obstáculos legais da doação de alimentos, conduzir a uma utilização mais abrangente das possibilidades existentes de doação e considerar maneiras de facilitar a doação noutras áreas políticas.

No relatório, os auditores examinaram as medidas tomadas até à data para reduzir o desperdício de alimentos e como agem diferentes instrumentos de política. Concluíram que a União Europeia não tem contribuído para uma utilização eficiente dos recursos na cadeia de abastecimento alimentar para combater eficazmente o desperdício de alimentos.

O desperdício de alimentos é um problema em toda a cadeia de abastecimento alimentar, dizem os auditores, e devem ser tomadas medidas em todas as fases do mesmo. É preciso enfatizar a prevenção, uma vez que as vantagens de se evitar o desperdício excede o custo de resolver o problema mais tarde. Áreas políticas importantes, como a agricultura, pescas e segurança alimentar, podem desempenhar um papel neste contexto e ser usadas para melhorar o combate ao desperdício de alimentos.

Publicidade

Procter & Gamble reutiliza plástico recolhido em praias

Lojas Edeka oferecem postos de abastecimento de leite