in

Sonae acelera crescimento com vendas a aumentar 11% no primeiro semestre

No primeiro semestre de 2019, o volume de negócios da Sonae aumentou 11% em termos homólogos, para 2.985 milhões de euros, beneficiando de um forte crescimento na Sonae MC (+198 milhões de euros) e na Sonae IM (+21 milhões de euros), e também da consolidação das contas estatutárias da Sonae Sierra (+86 milhões de euros). No segundo trimestre de 2019 registou-se uma aceleração do crescimento, com o volume de negócios a crescer 13,1%, superando 1.500 milhões de euros.

A aceleração do crescimento das vendas refletiu-se na melhoria da rentabilidade operacional. O EBITDA subjacente cresceu 24,4%, de 195 milhões de euros no primeiro semestre de 2018 para 243 milhões de euros no periodo homólogo de 2019, sustentado pelo desempenho positivo da Sonae MC, Sonae Fashion e Sonae FS, assim como pela consolidação da Sonae Sierra. Numa base comparável e excluindo a contribuição da Sonae Sierra, o EBITDA subjacente teria crescido 10% em termos homólogos.

Já o EBITDA cresceu cerca de 10%, para 284 milhões de euros, beneficiando também do aumento nos resultados do método de equivalência patrimonial, que foram impulsionados pela consolidação integral da Sonae Sierra e também pela clara melhoria de desempenho da ISRG, que teve um contributo positivo de +3 milhões de euros.

Apesar da forte performance operacional, com crescimento das vendas e da rentabilidade, o resultado líquido atribuível aos acionistas fixou-se em 38 milhões de euros, abaixo do valor registado no ano passado, devido sobretudo ao ganho de capital no segunto trimestre de 2018 da transação da Outsystems. Excluindo esta operação, o resultado líquido teria aumentado 24%.

Investimento cresce 25%

O investimento aumentou 25,3%, para 189 milhões de euros, sendo de destacar o investimento realizado pela Sonae MC na aquisição da rede de parafarmácias e cosmética espanhola Arenal e da Sonae IM na aquisição de participações na Cellwize e CB4. No que diz respeito ao capex de expansão, a Sonae MC continua o seu rápido programa de expansão, tendo realizado a abertura de 30 novas lojas operadas pela empresa, onde se incluem cinco Continente Bom Dia.

A Sonae continuou a reforçar a sua solidez financeira, tendo a dívida líquida da Sonae, em base comparável, diminuído 131 milhões de euros face ao primeiro semestre de 2018. Considerando as mudanças de portefólio ao longo dos últimos meses (nomeadamente os investimentos de capital na Sonae Sierra e Arenal), a dívida líquida total foi de 1.755 milhões de euros, sendo que o gearing do grupo está atualmente em 0,5x, tendo melhorado 0,1x face ao primeiro semestre de 2018.

O custo de dívida da Sonae permaneceu estável em 1,3% durante o primeiro semestre de 2019 e o perfil da maturidade média aumentou para mais de 4 anos. Excluindo a Sonae Sierra, a Sonae manteve a sua prática de estar integralmente financiada para os 18 meses seguintes com um custo de dívida estável de 1,0%.

O crescimento das várias áreas de negócios, resultado da preferência dos consumidores e clientes, permitiu a criação de mais de 1.200 postos de trabalho nos últimos 12 meses. Esta evolução foi também acompanhada pelo reforço do compromisso da Sonae com a comunidade, que beneficiou cerca de 900 instituições de economia social através de bens materiais, disponibilização de competências e recursos financeiros.

Sonae MC

No retalho alimentar, a Sonae MC registou uma vez mais um sólido desempenho das vendas no primeiro semestre de 2019, com o volume de negócios a ultrapassar a marca dos 2 mil milhões de euros, um aumento de 10% em termos homólogos. Este crescimento foi sustentado por uma forte evolução do LfL em todos os segmentos (no total 3,9% no semestre e 6,7% no segundo trimestre de 2019), impulsionado sobretudo pelo aumento dos volumes, por um contínuo esforço de expansão, com a abertura de 30 novas lojas operadas (incluindo 5 lojas Continente Bom dia e 1 loja Continente Modelo), e pela aquisição da Arenal (com um total de 42 lojas no final do primeiro semestre de 2019). Em termos de rentabilidade operacional, o EBITDA subjacente da Sonae MC ascendeu a 207 milhões de euros, aumentando 26,4 milhões de euros em termos homólogos. A margem EBITDA subjacente atingiu 9,5%, face a 9,1% no primeiro semestre de 2019.

Worten

No retalho de eletrónica, a Worten atingiu um volume de negócios de 473 milhões de euros no semestre, em linha com o ano passado. A estabilidade do volume de negócios, conjugada com os esforços continuados com vista à transformação digital, levaram a um EBITDA subjacente de 15 milhões de euros. Este desempenho é o resultado de um aumento das vendas em termos homólogos no segundo trimestre, de 2%, apesar de em 2018 as vendas terem disparado na categoria de imagem (nomeadamente em televisores) devido ao Mundial de Futebol. Em linha com a sua estratégia omnicanal baseada na digitalização, o Marketplace da Worten está a evoluir de forma positiva, reforçando o crescimento das suas vendas online, que se situou acima de 50% no segundo trimestre de 2019 em Portugal. Face a este sucesso, a Worten decidiu reforçar a sua estratégia omnicanal em Espanha, implementando um programa ambicioso para melhorar a rentabilidade nesta geografia a curto-médio prazo, que inclui o reforço da aposta no online, a maior eficiência de custos na estrutura e a suspensão de lojas com menor retorno.

Publicidade

Publicidade

Multinacional de logística Dachser vai construir nova filial na Alemanha

Chocolates Casa Grande vendem para os supermercados Whole Foods