light
in

“Somos a única bebida alcoólica light do mercado”

A afirmação é de João Perdiz, CEO da Bevinov, startup detentora da primeira marca portuguesa de wine spritz: a OPO Wine Spritz. Que anuncia ao mercado a entrada no retalho organizado através de uma parceria com o Continente e que visa comercializar as duas referências light da gama, que, por sua vez, vêm substituir, doravante, as propostas originais da marca. Produzido com vinho português, fruta e extratos naturais, com apenas 5% de álcool e “gently sparkling”, a OPO é adoçada com stevia, o que a torna numa bebida refrescante e baixa em calorias, com apenas 40 calorias por 100 mililitros. A nova gama Light está disponível em dois sabores: vinho branco com limão e gengibre e vinho rosé com morango e framboesa.

 

Grande Consumo – A que se deve a aposta numa gama light, baixa em calorias de OPO Wine Spritz? Quais os objetivos quantitativos e qualitativos associados a este lançamento? Por quantas referências é composta a gama?

João PerdizO consumidor está cada vez mais preocupado e atento às calorias e quantidade de açúcar que ingere e, claramente, as bebidas alcoólicas têm sempre imensas calorias e açúcar, mas ambicionávamos ser diferentes: por que não uma versão light da OPO original, mas sem comprometer o sabor? E foi isso que fizemos. Não temos concorrência direta, somos a única bebida alcoólica light do mercado. Oferecemos ao consumidor a possibilidade de celebrar os pequenos prazeres da vida, mas ingerindo poucas calorias e açúcar, pois adoçámos com stevia.

 

GC – Em que se diferencia face à oferta disponível até aqui? Com que PVP será comercializada?

JPAté agora, utilizávamos açúcar natural da uva para adoçar a OPO, mas não a tornava menos calórica, apenas mais natural. Neste momento, conseguimos o “melhor de dois mundos”: natural e baixo em calorias.

Atualmente, está a 2,49 euros por garrafa nos hipermercados Continente, mas poderá ter desconto promocional de lançamento.

 

GC – Este lançamento dá-se a meio do período de verão, ainda que num ano profundamente atípico. Foi o timing desejado para o seu lançamento ou o possível?

JPNão foi o timing desejado, mas o possível. Foi um ano atípico e desafiante para nós, por razões óbvias, mas, felizmente, conseguimos alcançar este objetivo e outros igualmente relevantes em mercados internacionais que nos surpreenderam pela positiva e nos ajudaram a ter um ano de crescimento.

 

GC – Com esta nova proposta, quantas referências passa a marca a disponibilizar? As mesmas deixam-vos satisfeitos?

JPMantemos apenas as duas referências: OPO Lemon Ginger e OPO Strawberry, sendo que as referências light irão substituir as antigas, pois estão mais alinhadas com as tendências globais, devido a uma proposta de valor reforçada com o “baixo em calorias”. Estamos satisfeitos e, para o ano, lançamos novos sabores e igualmente baixos em calorias.

 

GC – Trata-se de uma edição limitada ou adição definitiva ao portfólio da marca?

JPDefinitivamente veio para ficar. A partir de agora, iremos começar a produzir, comercializar e promover apenas a OPO Light.

 

OPO Wine Spritz Lemon & Ginger
OPO Wine Spritz Lemon & Ginger

GC – Como se realiza o processo de inovação, criação de novas referências numa bebida com as especificidades do Wine Spritz?

JPTrabalhámos arduamente, durante cerca de seis meses, no laboratório com uma missão simples: queremos desenvolver a versão light/baixa em calorias da OPO Spritz. No início, falhámos, os primeiros meses foram desafiantes, mas somos teimosos por natureza. Acabámos, felizmente, por atingir uma fórmula light e, ao mesmo tempo, muito agradável, refrescante e aromática de boca. Há consumidores que dizem que a OPO Light é ainda melhor que a versão “original”.

 

GC – Porquê a aposta no Continente como parceiro exclusivo para a sua introdução no mercado no canal retalhista?

JPO Continente é o atual líder do canal retalhista. Acreditamos ser um bom parceiro para fazer a introdução da OPO no consumo em casa. 

 

GC – A aposta no retalho é para continuar? Ou o foco preferencial continua a ser o canal Horeca?

JPCom a instabilidade que vivemos atualmente, estamos mais focados no retalho e no e-commerce, que são dois canais em crescimento. O consumo em casa é, realmente, onde iremos investir mais. No entanto, mantemos o nosso apoio no canal Horeca, que está a renascer aos poucos.

 

Com a instabilidade que vivemos atualmente, estamos mais focados no retalho e no e-commerce, que são dois canais em crescimento. O consumo em casa é, realmente, onde iremos investir mais. No entanto, mantemos o nosso apoio no canal Horeca, que está a renascer aos poucos.

 

GC – Afinal, qual é o perfil tipo do consumidor de Wine Spritz? A quem se dirigem as vossas propostas?

JPDirigimo-nos a um consumidor urbano, jovem e consciente da sua saúde e bem-estar. Que goste de experimentar bebidas novas, celebrar a vida, mas com um estilo de vida ativo e saudável. Pelo nosso historial, notamos maior consumo no público feminino dos 20 aos 45 anos e no público masculino dos 20 aos 30 anos de idade.

 

GC – A marca encontra no mercado de exportação um grande suporte comercial. Pode-se considerar que o consumidor nacional ainda não entendeu o conceito?

JPPenso que o consumidor nacional vai entendendo o conceito aos poucos. Portugal é um mercado desafiante, liderado por grandes grupos e alguns conceitos novos fracassaram no passado. Mas temos boas perspetivas para Portugal e esta parceria demonstra isso mesmo.

Estamos apenas no início e muito otimistas quanto ao futuro no mercado retalhista. É um mercado importante para nós, é onde vivemos, onde crescemos e onde tudo “nasceu”, queremos continuar a crescer cá.

 

GC – Em 2020, ambicionavam entrar em Espanha. Esse objetivo foi atingido?

JPInfelizmente, o mercado espanhol quebrou bastante com a pandemia. Entrámos nas ilhas Canárias exatamente antes da pandemia, mas, a partir daí, tornou-se complicado. Estamos, de novo, em negociação com uma cadeia em Espanha e vamos ver como corre. Continuamos a ambicionar entrar em todo o território espanhol e acontecerá mais cedo ou mais tarde.

 

GC – Este é o grande lançamento da marca para este ano?

JPNo mercado nacional, sim, sem dúvida. O foco, agora, é investir de forma a termos um bom “sell out” nos 45 hipermercados Continente, com perspetivas de expansão na cadeia no médio prazo.

 

GC – O que seria um bom fecho do exercício para a OPO Wine Spritz?

JPO ano de 2020 foi um ano de crescimento, de uma forma geral, ambicionamos e prevemos um crescimento na ordem dos 600% a 700%. Em Portugal, houve um grande abrandamento das vendas nos meses de quarentena, mas vamos tentar recuperar com a estreia nos hipermercados Continente. Vamos ver como corre.

OPO Wine Spritz Strawberry
OPO Wine Spritz Strawberry
360hyper

360hyper chega ao Algarve

Esporão_Quinta do Ameal_

Quinta do Ameal lança colheitas de 2019 com nova imagem