in

Smart TVs estão a tornar-se no novo alvo dos cibercriminosos

Foto Shutterstock

Com o uso das Smart TVs a disparar, pode-se dizer que estão a tornar-se num risco à segurança. Espera-se um crescimento nas vendas de mais de 20% até o final de 2019. No entanto, como a maioria das tecnologias em fase inicial, a usabilidade é ainda mais relevante do que a segurança. Os especialistas alertam para o facto de que a próxima onda de cibercrimes poderá acontecer através das Smart TVs.

As Smart TVs possuem vulnerabilidades semelhantes às dos computadores e smartphones, já que estão sempre ligadas à Internet e vêm com aplicativos integrados para navegar na web, ouvir música, fazer streaming ou jogar jogos,” afirma Daniel Markuson, especialista em privacidade digital da NordVPN. “Embora os ciberataques às TVs ainda não estejam difundidos, é apenas uma questão de tempo até que os pontos fracos comecem a ser explorados para invadir as nossas vidas e dados pessoais.”

De acordo com o especialista, as Smart TVs podem ser usadas para aceder a arquivos na nuvem ou até mesmo para fazer compras online. Armazenam grande quantidade de dados financeiros e pessoais que podem causar sérios problemas se forem parar às mãos erradas. Além disso, mesmo que à distância, um invasor pode fazer com que a Smart TV faça download de um vírus ou ative a webcam. “Como os possíveis problemas de segurança são bastante sérios, recentemente lançámos uma app nativa da NordVPN para Android TV,” explica Daniel Markuson. “A app de VPN faz a encriptação das suas atividades online para evitar uma variedade de intrusos e para manter as suas informações privadas em segurança. O número crescente de utilizadores na aplicação confirma a preocupação das pessoas com a segurança”.

 

Como permanecer seguro?

Os princípios básicos de segurança, normalmente aplicados a computadores e smartphones, também podem ser usados com as Smart TVs. Daniel Markusonlista alguns deles:

Escolha a sua smart TV pensando na segurança. Ao comprar qualquer dispositivo tecnológico, é importante fazer o trabalho de casa. Leia sobre possíveis vulnerabilidades e verifique comentários de utilizadores, bem como as instruções e permissões de acesso exigidas.

Atualize o software sempre que uma nova versão estiver disponível. Os patches de segurança costumam vir com cada nova versão, já que os fabricantes estão sempre a trabalhar para resolver vulnerabilidades.

Utilize medidas de segurança disponíveis, como VPNs. Qualquer dispositivo que se conecta à Internet deveria ter uma firewall e uma VPN. Alguns fabricantes, como a NordVPN, possuem apps para smart TV integradas que irão garantir a segurança da TV e oferecer outros benefícios, como o desbloqueio geográfico.

Faça downloads apenas em lojas oficiais e fornecedores de confiança. Certifique-se que está a fazer download de apps de uma fonte segura e que tanto a app quanto seu fornecedor sejam de confiança. Softwares de segurança podem bloquear apps e sites que contenham vírus, mas todos os dias surgem novas ameaças.

Seja cuidadoso com arquivos pessoais e dados financeiros. Fazer compras online num ecrã grande da Smart TV pode parecer divertido, mas tenha cuidado ao fornecer os dados do seu cartão de crédito e outras informações sigilosas. Não guarde documentos pessoais numa TV.

Informe-se e esteja ciente das ameaças. Informe-se e leia sobre potenciais ameaças online e, ainda mais importante, ajude os seus familiares a entender o que são dados pessoais e a privacidade online. Partilhe notícias sobre roubos de identidade, especialmente com os seus filhos.

Cubra a câmara da sua Smart TV. Já deve ter visto fotos do computador de Mark Zuckerberg com a câmara coberta. Se ele faz isso, também deveria. Nunca faça nada em frente à sua TV que não gostaria que fosse transmitido. As webcams são facilmente hackadas, assim como as câmaras das Smart TVs.

Publicidade

Comércio digital supera as lojas físicas pela primeira vez

Stef com forte crescimento em 2018