in

Segredo 6 junta António Boal e Costinha em projeto vínico

António Boal, da Costa Boal Family Estates, e Francisco Costa, o eterno “Costinha”, do mundo do futebol, estão juntos num negócio que vai potenciar o posicionamento premium do vinho português e que acaba de colocar no mercado um dos mais exclusivos e refinados vinhos de Trás-os-Montes.

O primeiro projeto da 2 CC Produção de Vinhos Lda., a empresa criada por ambos, é “um vinho tinto único e elegante, originário de uma vinha com 65 anos, sem armação, solo xistoso e uma área total de 3,5 hectares, na região de Trás-os-Montes”. O Segredo 6 tem assinatura do enólogo Paulo Nunes, sendo disponibilizado um número limitado de garrafas em grandes formatos.

Este vinho, assinado pelo  “alquimista de vinhas velhas” como é conhecido o líder da equipa de enologia da Costa Boal, é o único vinho português de uma única parcela a chegar ao mercado em grandes formatos. Um “vinho de família e amigos, investimento, único e elegante, que respeita todos os aromas e sabores de uma vinha velha”.

 

Vinha velha com 3,5 hectares

António Boal deu o lance da partida, Costinha, apreciador e conhecedor do mundo dos vinhos, não hesitou e “rematou” e, assim, nasceu o Segredo 6, de uma vinha velha de 3,5 hectares, sem armação, assinado pelo enólogo Paulo Nunes. Tudo começou em 2018, quando, cerca de um ano depois de se conhecerem e de terem partilhado vários encontros vínicos, António Boal e Costinha juntaram-se para comprar uma vinha velha (a vinha do professor), em terras transmontanas, um terroir de xisto e quartzo, pela qual o ex-futebolista se apaixonou. “Imediatamente, assumiram o audaz desafio de fazer nascer, em Portugal, o melhor dos vinhos alguma vez lançado em Trás-os-Montes, Segredo 6, que esteve, até agora, no segredo dos deuses”.

O Segredo 6 vai ter um total de 672 garrafas disponíveis para aquisição no mercado. A grande maioria (600) das unidades é de 1,5 litros, 66 de cinco litros e apenas seis de 15 litros. Os preços, por garrafa, começam nos 600 euros.

Refira-se que esta é a primeira incursão de Costinha na área da produção de vinhos, embora seja sobejamente conhecido o seu gosto vínico. O nome do projeto simboliza a história de amizade entre António Boal e Costinha, ligada pelo número 6, algarismo que utilizou durante as épocas em que vestia a camisola do FC Porto e da Seleção Portuguesa de Futebol e que, segundo afirma, o tem acompanhado nas suas maiores conquistas.

Maison Psyché

Rémy Cointreau vai entrar no mercado de perfumes

Comprar tecnologia

Queda massiva da procura de PCs no 3.º trimestre