in , ,

Risco de desabastecimento leva Reino Unido a atrasar novamente controlos de importação de alimentos

Foto Shutterstock

O Reino Unido anunciou, esta terça-feira, dia 14 de setembro, que irá atrasar novamente a implementação de alguns controlos pós-Brexit, devido à pressão da pandemia sobre as empresas e às tensões existentes na cadeia de abastecimento global.

De acordo com o governo liderado por Boris Johnson, a aplicação destes controlos à importação de alimentos da União Europeia far-se-á de um modo gradual, ao longo de 2022. Assim, a obrigação de realizar declarações e controlos aduaneiros completos será atrasada para 1 de janeiro de 2022, enquanto as declarações sobre segurança e proteção serão exigidas a partir de 1 de janeiro do ano que vem. “Queremos que as empresas se centrem na sua recuperação da pandemia, em vez de ter de lidar com novos requisitos na fronteira, pelo que estabelecemos um novo calendário pragmático para a introdução dos controlos fronteiriços completos”, indica David Frost, ministro britânico para o Brexit.

 

Desabastecimento

Nas últimas semanas, o Reino Unido enfrentou sérios problemas de abastecimento, que se refletiu nas prateleiras dos supermercados e da restauração. Ian Wright, diretor da Federação de Alimentos e Bebidas britânica, já advertiu que a falta de alimentos vai ser permanente, consequência da escassez de motoristas, face às novas exigências do Brexit, das barreiras aduaneiras e das restrições à circulação derivadas da Covid-19.

Publicidade

Iglo

Dona da Iglo aposta no desenvolvimento de produtos de peixe cultivados em laboratório

Gigante Maersk compra startup portuguesa HUUB