in

Retalho vai crescer 1,6% na Europa este ano

As vendas dos retalhistas na zona do euro crescerão 1,6%, em 2018, e deverão aumentar 2%, em 2019, de acordo com o último relatório “Let’s talk retail” do BNP Paribas Real Estate.

Nos três principais mercados europeus – Alemanha, Reino Unido e França -, esse crescimento será superior a 2%, no próximo ano, e em Espanha haverá um aumento de 1,6%, graças à recuperação económica e à queda dos níveis de desemprego.

Por outro lado, o relatório mostra que os hábitos dos consumidores estão a evoluir, devido ao aumento das compras online. As vendas pela Internet foram responsáveis por quase 9% do total de vendas no retalho em 2017.

No entanto, os europeus, especialmente os Millennials, gostam de ir aos centros comerciais, especialmente na Roménia (87%), Portugal (84%) e Espanha (83%). Também gostam de visitar lojas locais (70%) e grandes lojas especializadas (69%). 83% continua a comprar em centros físicos, porque querem ver e tocar os produtos, e 79% fá-lo porque gosta de poder levar as suas compras para casa com facilidade e experimentar os produtos.

Ao mesmo tempo, o investimento no retalho na área euro registou um ligeiro aumento nos últimos 12 meses. Com um total de 56 mil milhões de investimento, o retalho é o segundo maior segmento em termos de investimento imobiliário (21%), a seguir aos escritórios, e registou um crescimento de 1% em relação ao mesmo período de 2017. Os principais mercados europeus representam 47% do investimento total no retalho. 

Durante os primeiros nove meses de 2018, o investimento foi reduzido em 6% em relação ao mesmo período do ano anterior e atingiu 35 mil milhões de euros. Embora a sua participação no investimento total em imóveis esteja a diminuir, o volume de investimento no retalho ainda está acima da média de 31mil milhões de euros dos últimos 10 anos. “Os investidores institucionais não pararam de investir no retalho, mas estão a concentrar a sua atenção nas unidades que atraem os retalhistas, porque se adaptam aos novos padrões de consumo. O mais seguro, aos olhos dos investidores, são os retail parks, os pontos de venda e os segmentos da high street“, afirma Patrick Delcol, diretor de retalho pan-europeu.

O relatório do BNP Paribas Real Estate também mostra que os alugueres em locais privilegiados continuam elevados. Londres, uma das principais localizações do segmento de luxo na Europa, ocupa o primeiro lugar pela sua prestigiada Old Bond Street. 

Finalmente, o relatório destaca que, ao longo do ano, os retalhistas internacionais continuaram a expandir-se em toda a Europa e que alguns países viram a chegada de novas marcas. Por exemplo, a Decathlon está a abrir lojas, pela primeira vez, na Lituânia, Ucrânia e Irlanda e a Primark entrará na Polónia em meados de 2019.

Publicidade

Consumidores tencionam gastar 268 euros na Black Friday e Cyber Monday

Pai Natal da Toys”R”Us entrega presentes porta a porta