in

Real Companhia Velha aposta em castas internacionais

A Real Companhia Velha (RCV) apresenta o Quinta de Cidrô Pinot Noir tinto 2010, que resulta da combinação de castas internacionais  com as tradicionais castas da região.

Para obter um Quinta de Cidrô Pinot Noir é feita uma cuidadosa seleção de uvas de forma a colher as melhores de entre os diferentes níveis de maturação e produção, procurando estabelecer elevados parâmetros qualitativos e maximizar toda a expressão varietal em termos de acidez e carácter. Parte das uvas foram desengaçadas manualmente e, durante a fermentação, foi utilizado o método manual de ‘baixar a manta’ de forma a conseguir uma extração suave capaz de providenciar aromas delicados. Após todo o processo de vinificação, o estágio durante um ano em barricas de carvalho francês, sendo 30% madeira nova”, refere em comunicado.

Segundo a RCV, no copo, o Quinta de Cidrô Pinot Noir revela toda a sua intensidade e potencial com notas típicas de cereja, groselha e romã, harmoniosamente integradas com nuances de baunilha e café, proveniente do estágio em madeira. É um vinho verdadeiramente gastronómico que deve acompanhar preferencialmente pratos intensos como cabrito assado ou carnes estufadas.

O Quinta de Cidrô Pinot Noir tinto 2010 encontra-se para venda, numa edição com 4.800 garrafas, com um PVP de 15 euros.

Publicidade

Millennials escolhem Aldi e Lidl

Uma em cada duas empresas está envolvida numa guerra de preços