in

Quinta Vale D. Maria declara 2017 ano Vintage

A Quinta Vale D. Maria atribuiu a maior distinção dada a uma colheita de vinho do Porto, declarando o ano de 2017 como Vintage.

O Quinta Vale D. Maria Porto Vintage 2017 é a quinta declaração da empresa desta década e a 20.ª de Cristiano van Zeller, produtor e administrador.

Para Cristiano van Zeller, esta declaração não é uma surpresa. “A evolução da viticultura no Douro e, no nosso caso específico, as condições únicas da Quinta Vale D. Maria permitem produzir grandes Porto Vintage com mais regularidade. O ano de 2016 não foi igual ao de 2017 e cada um destes dois Vintage reflete isso mesmo. São ambos excecionais e merecedores da distinção. Na Quinta Vale D. Maria, a variedade e densidade das castas, a idade das vinhas e as múltiplas altitudes e exposições solares são fortes contributos para uma produção consistente de vinhos do Porto com grande estrutura e complexidade. Em todas as fermentações para vinho do Porto, feitas exclusivamente em lagares, trabalhamos com um único objetivo: o de produzirmos um excelente vinho do Porto Vintage“.

O ano de 2017 foi um ano muito quente e seco, o que contribuiu para um adiantamento significativo do ciclo vegetativo, fazendo com que esta tenha sido uma das vindimas mais precoces de que há memória. No Douro em geral e em específico na Quinta Vale D. Maria, registou-se uma ausência prolongada de precipitação e uma ocorrência de temperaturas muito elevadas que conduziram a um forte stress hídrico, térmico e luminoso, numa fase precoce do ciclo. Estas condições resultaram numa menor produção do que a média dos últimos anos do século, mas com cachos excepcionalmente sãos. O intenso trabalho de pisa-a-pé nos lagares de granito da Quinta Vale D. Maria potenciou a qualidade dos mostos, acabando por ocasionar um vinho ímpar, com uma concentração de fruta e complexidade aromática que garantiram as características organoléticas necessárias para a produção de um grande Vintage.

No processo de produção do vinho do Porto, existe uma série de condicionantes que incluem o terroir, as castas, a vinificação e o envelhecimento até ao engarrafamento. No caso dos vinhos do Porto Vintage, as amostras dos vinhos criados por um qualquer produtor são submetidas ao Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) para a respetiva apreciação e validação como Porto Vintage. O IVDP decide, então, se o mesmo possui as “características organoléticas de excepcional qualidade”, se é oriundo “de uma só vindima, retinto e encorpado” e se apresenta um “aroma e paladar muito finos”. Se todas estas premissas estiverem reunidas, a declaração Vintage é aprovada.

O Porto Vintage é o vinho do Porto especificamente produzido para envelhecer em garrafa. Produzido com uvas oriundas da colheita de um único ano, é engarrafado dois anos após a vindima, sem qualquer filtração, podendo evoluir até muito mais de 50 anos em garrafa. Durante os primeiros anos, a cor, os aromas e o paladar mantêm-se intactos. Quando atinge o estágio de 10 anos em garrafa, a cor evolui para tons mais escuros, revela aromas de frutas maduras e ganha complexidade na boca e no nariz.

Mais de 1.000 bilhetes para festivais e concertos na Bock Band da Super Bock

DHL Express expande rede internacional com novos aviões