in

Quinta da Pacheca declara 2017 ano vintage

A Quinta da Pacheca volta a declarar 2017 como ano vintage. É a quarta vez nesta década que a empresa duriense faz esta declaração (2013, 2014, 2016 e 2017).

O Quinta da Pacheca Porto Vintage 2017 foi produzido com uvas provenientes das vinhas mais velhas da Quinta da Pacheca, onde predominam as castas tradicionais do Douro. “É um vinho retinto, opaco no centro com bordo vermelho escuro. Tem fruta preta complexa, notas de esteva, ervas silvestres e violeta. Revela uma intensidade que faz augurar uma vida longa, cumprindo com todas as premissas exigidas a um vintage”, considera a Maria Serpa Pimentel, enóloga da Quinta da Pacheca. “O ano de 2017 começou com um inverno frio e seco, com o calor dos meses de abril e maio a estimular o rápido crescimento das videiras. As primeiras três semanas de junho foram extremamente quentes, acelerando ainda mais o ciclo. Apesar de algumas trovoadas e das chuvas no início de julho, o tempo permaneceu seco até ao final do ciclo vegetativo. Na Quinta da Pacheca a vindima começou no dia 3 de setembro. As temperaturas durante a vindima foram amenas, com noites frias, permitindo fermentações equilibradas e excelente extração. Apesar da vindima ter arrancado muito cedo, os mostos apresentaram-se densos e marcados por uma excecional profundidade e cor”, acrescenta a enóloga.

A declaração de um ano vintage representa a qualidade fora de série de uma colheita de vinho produzido num determinado ano e que lhe vai permitir envelhecer bem em garrafa. O vinho é, então, submetido ao IVDP, que o aprecia e decide se possui todas as características organoléticas de excecional qualidade. Caso corresponda, é aprovado como vintage.

Bons resultados para a JD.com

Primeiro português à frente das operações da Imperial Tobacco para Portugal e Andorra