in

Que benefícios trazem as marcas próprias aos retalhistas?

Imagem Shutterstock

As chaves que os retalhistas devem ter em conta para incorporar as suas marcas próprias na sua estratégia de crescimento e os benefícios que estas proporcionam são o controlo, a diferenciação, a rentabilidade e o poder de negociação, de acordo com os dados do relatório “Why Private Brands should form part of every Retailer’s growth strategy” da dunnhumby.

Esta análise vai ajudar os retalhistas a concorrer com as suas marcas próprias num mercado onde o seu peso está a aumentar e num contexto onde a perceção de preço, por parte dos clientes, se torna mais relevante, devido à conjuntura económica derivada da pandemia de Covid-19. Para o consumidor, diz a dunnhumby, comprar marca própria significa obter qualidade com uma economia de 20% a 30% no preço. Estas cobrem necessidades de produtos que os fabricantes, às vezes, não conseguem atender e tornam os processos de compra mais rápidos e fáceis. Por isso, as marcas próprias podem ser um fator decisivo para gerar crescimento num período de incertezas.

 

Benefícios

Segundo a dunnhumby, as marcas próprias oferecem uma alavanca de poupança com preços mais económicos, que ajuda a melhorar a imagem do retalho junto do cliente e, como consequência, a sua decisão sobre onde comprar. Além disso, aportam maior rentabilidade, pois eliminam os custos com intermediários e demais terceiros, podendo usufruir de maiores margens, e ajudam a melhorar as condições e a obter preços mais baixos junto dos fornecedores, podendo também potenciar as marcas da indústria  para um maior investimento na presença física e digital.

Da mesma forma, as marcas próprias proporcionam um maior controlo para atender às necessidades específicas dos clientes. Como proprietário de uma marca, o retalhista pode determinar a variedade de produtos mais adequada aos seus compradores, gerir os seus próprios preços e qualidade e ter controlo total do seu marketing e promoções.

 

Diferenciação

A diferenciação é algo com que as marcas próprias também contribuem, através de gamas de produtos exclusivas e competitivas, que os ajudam a fidelizar e a aumentar a sua quota de mercado. Além disso, também permitem uma menor dependência de fatores como os preços e as promoções para atrair compradores.

Para que o lojista obtenha esses benefícios, aponta o estudo, é fundamental conhecer o cliente em profundidade, para, então, fazer um desenvolvimento adequado da marca própria, que consiga captar todo o seu valor e não focar-se apenas na aparência puramente económica, mas também no seu amplo potencial estratégico.

Publicidade

Navigator

Navigator entre as melhores empresas do mundo em sustentabilidade

abastecimento

Exportações de frutas, legumes e flores crescem 4,4% em 2020