in

Produtos de arte-sacra e artigos religiosos em alta no mês de maio

Grande Consumo - Branded Content

A pandemia está a ser uma oportunidade única para as lojas online. E, embora o estado de emergência tenha sido alterado, acredita-se que a tendência para comprar online se vá manter.

Durante esta pandemia, já se atingiram números surpreendentes. Segundo os resultados de um estudo, o número de compras online cresceu em 289% e o número médio de lares a comprar cresceu em 244%.

No Google, a pesquisa pelo termo “como comprar online” teve uma subida acentuada durante a quarentena, o que também prova a curiosidade crescente por esta forma de compra.

Mas este crescimento, ao contrário do que possa pensar, não se deve, apenas, à subida do número de compras em supermercados. Várias lojas online estão a beneficiar deste aumento de vendas. O mercado religioso, por exemplo, está a ter mais procura no online. Tem dúvidas?

 

A religião durante a pandemia

As missas deixaram de ser celebradas, a Páscoa, para muitos, nem foi passada em família e a, 13 de maio, Fátima não se reconhecia. Mesmo assim, a procura no sector religioso subiu.

Foram várias as figuras religiosas que aproveitaram o online para se ligarem a fiéis de todo o mundo. O Papa Francisco, por exemplo, pediu que se juntassem à missa online, principalmente na Páscoa. O mesmo aconteceu em Fátima, onde foi feita uma transmissão em direto.

A nível de números, a procura pelo termo “missa online” no Google cresceu, principalmente, durante a quaresma. Outro crescimento interessante foi na procura pelo termo ‘terços’, que teve o seu ponto mais alto de pesquisas no período de 29 de março a 4 de abril, quando comparado aos últimos cinco anos.

A realidade é que, neste momento desafiante, muitos portugueses precisaram de manter a esperança. Alguns, inclusivamente, quiseram manter os presentes da Páscoa e aproveitaram as lojas online para que a entrega fosse feita em casa dos familiares em segurança.

 

Produtos em alta durante o mês de maio

De acordo com a Holyart.pt, o maior portal online especializado na venda de artigos religiosos e obras de arte sacra na Europa, sentiu-se um aumento nas vendas durante a pandemia, nomeadamente velas e terços.

No mês de maio, as velas foram os produtos mais vendidos, pois a peregrinação sofreu alterações devido à pandemia. Apesar da falta de pessoas em Fátima, as velas acesas encontravam-se nas janelas de fiéis em todo o país.

 

Quer vender mais na pandemia? Siga estas 3 dicas

1. Mantenha uma entrega segura e em casa

Alguns portugueses já voltaram à sua vida “normal”, mas outros continuam a trabalhar a partir de casa e a ter em conta as regras da quarentena. Sendo assim, se o seu negócio mantiver as entregas ao domicílio de forma segura, a sua loja vai continuar a vender.

Lembre-se, ainda, que os clientes devem ter uma excelente experiência com o seu negócio! Dessa forma, irão passar a experiência a amigos, familiares e, até, nas redes sociais.

 

2. Aproveite as redes sociais para manter a comunicação

As redes sociais são o ponto de encontro entre a loja online e os consumidores. Sendo assim, mantenha uma comunicação consistente, com foco no consumidor e respeitando, sempre, o “branding” da loja.

Não precisa de estar em todas as redes sociais, invista nas que fizerem mais sentido para o seu negócio.

Por exemplo, recentemente, abriu uma nova livraria em Portugal. Essa livraria já tem uma conta no Instagram, um canal no Youtube e, arriscamos dizer, já está à frente de muitas outras livrarias portuguesas.

Tenha uma estratégia de comunicação e siga-a de forma consistente.

 

3. Parcerias podem salvá-lo neste momento

Não pode entregar ao domicílio? Crie uma parceria com outras lojas online ou com empresas de entrega. Grandes empresas também o estão a fazer.

A Uber Eats, por exemplo, fechou novas parcerias durante a pandemia. Alguns restaurantes e pastelarias continuaram a vender a clientes habituais – e não só – durante a quarentena e a entrega era feita pela Uber Eats em casa dos mesmos.

Em plena quarentena, muitos dos conteúdos publicados informavam os clientes de que já era possível a entrega ao domicílio devido à parceria com a Uber Eats.

Não sabemos se Portugal terá outra quarentena, em breve, mas temos a certeza de que as portas para as compras online foram abertas aos portugueses.

Publicidade

Actuel Green

Auchan lança gama “eco-friendly” Actuel Green

Vinhos do Tejo

Vinhos do Tejo continuam a crescer