in

Primeira colheita Kranemann no Douro declarada Vintage 2018

A Kranemann Wine Estates anuncia a declaração Vintage 2018 para a marca Kranemann. A colheita de estreia da empresa idealizada por Christoph Kranemann, oficialmente estabelecida no Douro em fevereiro de 2018, revelou qualidade excecional, obtendo aprovação da Câmara de Provadores do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) para Vintage Clássico.

Nasce, então, o Kranemann Vintage 2018, nova referência de Porto. O lançamento no mercado ocorrerá em novembro.

Esta declaração reveste-se de um significado muito especial para a Kranemann Wine Estates. Desde logo, porque resulta da nossa primeira vindima, e respetivo reconhecimento da sua qualidade para declaração de um Vintage Clássico, mas, igualmente, porque retribui ao nosso fundador, Christoph Kranemann, todo o resultado da sua enorme paixão e aposta no Douro e nos vinhos do Porto. Um Vintage é sempre um marco importante, mas este, por tudo o que representa, ficará inscrito na história da casa”, afirma o enólogo Diogo Lopes, referindo-se ao projeto global de 12 milhões de euros, lançado em Tabuaço, por Christoph Kranemann, enófilo apaixonado pelos vinhos do Douro.

 

2018: ano excecional

O Kranemann Vintage 2018 resulta de um ano muito especial, marcado pelo inverno seco, pelas chuvas primaveris e por um verão quente. Apesar das dificuldades na viticultura, que significaram uma produção menor, a maturação final longa proporcionou uvas de qualidade extraordinária. “Fomos bafejados pela sorte de, logo na primeira colheita, termos a natureza do nosso lado, oferecendo-nos uma sequência de eventos que acabou por dar-nos uvas excecionais, de grande qualidade e concentração”, continua Diogo Lopes.

Susete Melo, enóloga residente da Kranemann Wine Estates, complementa. “Este Vintage 2018 tem origem numa parcela mais baixa no Vale do Távora, junto ao rio, onde o xisto e a temperatura mais alta proporcionaram fruta muito madura, plena de raça, com taninos firmes. As uvas destacaram-se logo pela cor e pelo perfume que trouxeram aos lagares. No final, obtivemos um vinho de grande concentração e estrutura, mas com a presença da acidez característica do Vale do Távora, que lhe confere frescura, profundidade e, claro, um enorme potencial de evolução”.

O novo Kranemann Vintage 2018 vem, por isso, propor um perfil em linha com a estratégia diferenciadora definida para o projeto Kranemann Wine Estates, onde o vinho do Porto representa cerca de 50% da produção total. “Queremos prosseguir e honrar a tradição de produção de Porto que herdámos da Quinta do Convento de São Pedro das Águias. Temos uma noção muito clara da nossa dimensão e da enorme qualidade, experiência e maturidade já existente no mercado, mas é precisamente isso que nos motiva no nosso desafio: propor vinhos do Porto distintos, com a frescura e profundidade só possíveis graças ao fantástico terroir do Vale do Távora, onde estamos inseridos. O objetivo é que estes vinhos, e todo o projeto Kranemann Wine Estates, contribuam para valorizar este Douro muito particular, único, que é o do Vale do Távora. Acreditamos muito neste potencial”, afirma Diogo Lopes.

O Kranemann Vintage 2018 chega ao mercado em novembro, com 3.215 produzidas. A imagem da marca Kranemann destaca o símbolo maior da casa, o Grifo, criatura fantástica associada, entre outras, à mitologia da Idade Média, onde surgia como representativa da união entre a dimensão terrena (leão) e divina (águia), evocando os valores de força, de sabedoria e de guarda dos mais nobres tesouros.

Publicidade

Santos & Seixo Wines

Santos&Seixo Wines consolida presença no Douro

Longa Vida renova identidade corporativa