in ,

Preços dos alimentos vendidos online continuam a bater novos recordes

Foto Shutterstock

A Adobe divulgou os últimos dados do seu Índice de Preços Digitais (DPI), que revelam que, em março, os preços dos produtos vendidos online, a nível mundial, aumentaram 3,6% em termos homólogos e 0,3% face ao mês anterior. Nesta evolução, destacam-se os preços dos alimentos, que subiram 9% face a 2021, batendo um novo recorde, e 1,4% face a fevereiro.

Especificamente, em termos homólogos, os preços dos produtos alimentares básicos diários aumentaram 7% (1,5% relativamente a fevereiro) e os dos produtos de cuidados pessoais 1,4% (0,1% em termos mensais).

 

E-commerce mantém-se forte

Mas, apesar dos preços mais elevados e dos desafios da cadeia de abastecimento que geraram 3,1 mil milhões de mensagens de ruturas de stocks, em março, a procura do comércio eletrónico manteve-se forte. Os consumidores gastaram 83,1 mil milhões de dólares, cerca de 76,71 mil milhões de euros, mais 7% do que um ano antes, num aumento significativo face aos 67 mil milhões de dólares, cerca de 61,84 mil milhões de euros, em fevereiro.

Os consumidores estão a sentir um golpe maior nos seus bolsos, com níveis consistentemente elevados de inflação online em categorias como a alimentação e produtos para animais de estimação“, afirma Patrick Brown, vice-presidente de marketing de crescimento e informação da Adobe. “Mas, embora os preços do comércio eletrónico tenham aumentado mais do que nos anos anteriores, a procura duradoura mostra que os consumidores estão a abraçar experiências mais personalizadas na economia digital, bem como as conveniências das compras online, particularmente para categorias crescentes, como a mercearias“.

 

Roupa com a maior subida de preços

Em março, 14 das 18 categorias seguidas pelo DPI registaram aumentos homólogos de preços, com o vestuário a destacar-se, com uma subida de 16,3%, em termos homólogos.

As descidas de preços foram observadas em quatro categorias: eletrónica, joalharia, brinquedos e computação´

O DPI fornece uma visão completa de quanto os consumidores pagam por bens online. Movido pela tecnologia Adobe Analytics, analisa mil milhões de visitas a sites de retalho e mais de 100 milhões de SKUs em 18 categorias de produtos: eletrónica, vestuário, eletrodomésticos, livros, brinquedos, computadores, mercearia, móveis/roupa de cama, ferramentas/melhorias domésticas, casa/jardim, produtos para animais de estimação, joalharia, equipamento médico, artigos desportivos, produtos de assistência pessoal, flores/presentes relacionados, medicamentos de venda livre e material de escritório.

Publicidade

Tailwind Shipping Lines

Dono do Lidl cria a sua própria empresa de transporte marítimo de mercadorias

FMI

FMI prevê crescimento de 4% para a economia portuguesa