in ,

Mercados grossistas destacam no Parlamento Europeu a sua função na cadeia de abastecimento

Os membros europeus da União Mundial dos Mercados Grossistas (WUWM) reuniram-se no Parlamento Europeu para apresentar uma declaração que visa reforçar a colaboração entre os mercados europeus e aumentar a sua visibilidade a nível internacional.

Esta  declaração, assinada em 9 de julho, em Paris, por todos os mercados membros da união – 120 mercados, representando 22 países europeus –, destaca a importância do modelo de mercado grossista para assegurar as principais políticas da União Europeia, como a segurança alimentar, a economia circular, o abastecimento, a distribuição e a rastreabilidade dos produtos frescos aos cidadãos europeus, assim como a função fundamental dos mercados grossistas na valorização da produção agrícola e salvaguardar o modelo agrícola europeu baseado na diversidade dos seus produtos.

De acordo com a WUWM, os mercados são os principais intervenientes na cadeia agroalimentar, servem as políticas europeias, os agricultores e os cidadãos, mas são muitas vezes esquecidos pelas instituições europeias e internacionais em comparação com outros intervenientes na cadeia alimentar, como os agricultores, retalhistas e supermercados. “No entanto, os mercados grossistas são um dos elos mais importantes da cadeia de abastecimento alimentar da União Europeia (25 milhões de toneladas de produtos frescos, cerca de 40% da oferta de frutas e legumes, 200 milhões de consumidores europeus)“.

Como resultado, os mercados pedem para serem ouvidos nos debates e orientações estratégicas do sector. “Invisível para o público em geral, mas desempenhando um papel vital, o seu modelo facilita a cadeia de fornecimento de produtos frescos de ponta a ponta e, ao mesmo tempo, dá acesso ao mercado a milhares de pequenas empresas e produtores locais.O seu sistema garante a durabilidade da produção, a fluidez da distribuição, uma diversidade muito grande de produtos, uma boa regulação dos preços em comparação com a distribuição em massa, uma rastreabilidade controlada dos produtos e a minimização dos resíduos. A variedade e diversificação de produtos garante que haja uma infinidade de opções, a um preço acessível, bom valor e uma dieta saudável, mesmo para os menos abastados“, diz a WUWM.

Hoje em dia, o desafio do modelo de mercado grossistas europeu é aumentar a atratividade e a competitividade da produção europeia. “Supermercados, hipermercados e lojas multinacionais têm um interesse em reduzir a diversidade da cadeia de suprimentos, pois simplifica e facilita o controle de compras e de stocks. É importante que os consumidores continuem a ter a maior variedade de produtos possível. Governos europeus e instituições internacionais têm um papel a desempenhar na melhoria do conhecimento dos consumidores e da compreensão da diversidade de produtos frescos e de alta qualidade “, afirma.

Neste documento, os mercados também se comprometem a aumentar a sua cooperação para melhorar a regulamentação do sector, a fim de aumentar o seu desempenho e competitividade, desenvolver inovações para promover a alta tecnologia e apoiar ainda mais a produção agrícola europeia, promover a alta qualidade de distribuição de produtos frescos na União Europeia, bem como investir no desenvolvimento de novos desafios do sector (mercados digitais, logística limpa e entrega de última milha, rastreabilidade de produtos, gestão de resíduos, produtos orgânicos, etc.).”A Declaração Conjunta dos Mercados Grossistas Europeus que apresentamos ao Parlamento Europeu é uma base sólida sobre a qual nos queremos envolver em discussão construtiva com as instâncias europeias. Este ato é verdadeiramente fundador, por duas razões: permite-nos vislumbrar primeiro a sustentabilidade da atividade e, em seguida, marca o ponto de partida para uma cooperação reforçada com organismos europeus e internacionais”.

Publicidade

Frubis lança Fresh Frubis Grab & Eat

Lidl anuncia exportação de maçã de Alcobaça para Espanha