in

Mercado global de smartphones cai 6% em 2022

Imagem Shutterstock

O mercado global de smartphones registará um decréscimo de 6,5%, em 2022, em termos de unidades comercializadas, para os 1.270 milhões de dispositivos, em resultado do atual contexto marcado pela elevada inflação, pelas tensões geopolíticas e pelos desafios macroeconómicos.

Os dados são da consultora IDC e representam uma redução de três pontos percentuais em relação às previsões anteriores.

No entanto, prevê-se que esta situação não se prolongue ao longo do tempo e que o mercado recupere em 2023, com um crescimento homólogo de 5,2%. A IDC assinala ainda que se prevê uma taxa de crescimento anual a cinco anos de 1,4%.

O elevado nível de stock e a baixa procura, sem sinais de recuperação imediata, fazem com que os OEMs entrem em pânico e reduzam drasticamente as suas encomendas. Os acontecimentos dos últimos 12 meses retiraram 150 milhões de unidades do mercado do nosso prognóstico para o segundo trimestre”, explica Nabila Popal, diretora de investigação no World Mobility and Consumer Device Trackers da IDC.

 

Subida dos preços

Apesar do declínio das unidades, os preços médios de venda cresceram 10%, no segundo trimestre, e prevê-se que aumentem 6,3% no conjunto do ano. “O segmento premium mostrou ser resiliente à crise económica. De facto, cresceu quatro pontos percentuais para os 16% do total do mercado de smartphones, e continuará a crescer. Isto inclui os dispositivos dobráveis, que são o segmento que mais cresce hoje e que deverá aumentar 70%, em 2022, para atingir os 13,5 milhões de unidades enviadas“, acrescenta Nabila Popal.

Se os resultados da IDC forem analisados numa perspetiva regional, constata-se que a crise económica afetou mais os países emergentes. Nestes mercados, a maioria dos dispositivos vendidos corresponde a produtos inferiores a 400 dólares.

Na Europa Central e de Leste, espera-se uma queda de 17,4%, em 2022. Por outro lado, na Ásia/Pacífico (excluindo o Japão e a China), a queda nas unidades vendidas será de 4,5%. Na China prevê-se também a queda significativa do volume de vendas, especificamente, de 12,5%, o que se traduz em cerca de menos 41 milhões de unidades vendidas.

A IDC salienta que mercados desenvolvidos, como a América do Norte e a Europa Ocidental, terão um melhor desempenho. Os Estados Unidos da América manter-se-ão estáveis, com um crescimento homólogo de 0,3%. Da mesma forma, o mercado canadiano terá um aumento de 3,2%. Finalmente, a região da Europa Ocidental sofrerá uma ligeira queda de 0,7%.

 

5G

Por outro lado, a consultora prevê que as vendas de smartphones 5G cresçam 23,6%. Além disso, os dispositivos com esta funcionalidade de conectividade representarão 54% de todas as vendas neste período.

Concretamente, serão vendidos 688 milhões de dispositivos a um preço médio de venda de 616 dólares. Estima-se que, em 2026, o 5G tenha uma quota em volume de 79%, com um preço médio de venda de 444 dólares.

Inflação

Inflação na zona euro confirmada em 9,1%

Lyon,,France,-,Feb,16,,2021:,Close-up,Macro,Shot,Of

Patagonia faz do planeta o seu único acionista