in

MELOM e Querido Mudei a Casa Obras crescem 32% em faturação no 1.º trimestre

obras

A MELOM e a Querido Mudei a Casa Obras (QMACO) fecharam o primeiro trimestre do ano com uma faturação de 9,4 milhões de euros, registando um incremento de 32,4% face a igual período do ano passado.

O período fica marcado pelo aumento no volume de pedidos de obra, concretamente 36,2% em relação aos primeiros três meses de 2021. No tipo de obra mais solicitado, a remodelação geral mantém-se no topo das preferências, seguida das pequenas intervenções (pinturas e bricolage) como as mais requeridas. Em destaque, a região sul liderou os indicadores, com crescimento de 49,9%, quer nos pedidos de obras (4.422), quer em faturação (acima dos sete milhões de euros), face a igual período de 2021.

De janeiro a março, o valor médio de obra (não considerando a construção de raiz) foi de 5.786 euros e o valor médio por orçamento fixou-se nos 30 mil euros, mais do dobro do trimestre de 2021, o que revela que as obras solicitadas pelos portugueses são maiores e mais abrangentes.

As insígnias foram requeridas para 7.174 intervenções a nível nacional, com o sul a registar maior número de pedidos de obras (4.422), seguido do norte (2.328). Os números traduzem um crescimento total de 36,2%, quando comparado com o primeiro trimestre de 2021, e que se explica pelo facto dos portugueses investirem cada vez mais no conforto das suas habitações.

 

Expansão

Os resultados evidenciam também que, no primeiro trimestre do ano, houve a abertura de 12 novas unidades em território nacional, sendo duas relativas a novas unidades MELOM e 10 da insígnia QMACO, com uma distribuição geográfica de norte a sul do país: Lisboa, Coimbra, Almada, Seixal, Albufeira, Funchal, Santarém, Montijo, Mafra, Viseu e Guarda.

A remodelação geral volta a ser o tipo de obra mais solicitado às insígnias, liderando o ranking de obras das marcas. Não obstante, as pequenas intervenções ao nível de pinturas e bricolage ocupam lugar no top de intervenções mais solicitadas à MELOM e QMACO, nos primeiros três meses do ano. No projeto Casa de Sonho RE/MAX, serviço chave na mão desenvolvido em parceria com a MELOM e que assegura todo o projeto de licenciamento e construção de moradias, entre janeiro e março, registaram-se 218 novos pedidos.

De acordo com João Carvalho, cofundador da MELOM, “estes primeiros três meses do ano foram bastante positivos, com os indicadores a revelarem uma forte procura pelos nossos serviços. Verificamos que o valor médio por orçamento foi mais do dobro face a igual período do ano passado, o que nos leva a constatar que as obras solicitadas pelos portugueses foram maiores e mais abrangentes neste período”.

Para o responsável a performance das insígnias neste primeiro trimestre deve-se ao “profissionalismo e rigor dos franchisados, a par de orçamentos claros e obras bem executadas. Queremos continuar a ser a escolha dos portugueses, garantindo sempre as melhores soluções e serviços na melhoria do conforto e das condições das suas habitações”.

vinho

ASAE apreende mais de 3.300 litros de vinho

Fanta

Fanta apresenta três novos sabores secretos