in ,

Marketplace 100% português nasce a 10 de março

A empresa portuguesa Gadget Delírio lança, no dia 10 de março, o seu marketplace dedicado às telecomunicações móveis.

Em gadgetdel, será possível encontrar telemóveis novos e usados “aos melhores preços do mercado”. Mas o ponto-chave que irá diferenciar o marketplace é, de acordo com a empresa, a confiança, já que a função da Gadget Delírio será mesmo a de mediar a compra entre o vendedor e o cliente, garantindo que aquele sai sempre satisfeito com a sua encomenda. “O maior medo do consumidor português em comprar online é o receio de ser burlado e enganado. É um motivo evidente, uma vez que infelizmente todos os dias ocorrem burlas na Internet”, assinala Miguel Sousa, diretor geral da Gadget Delírio. “Vamos trabalhar com vendedores de referência a nível europeu, conceituados no ramo e 100% verificados. E, para além desta segurança, a Gadget Delírio assumirá também responsabilidade por qualquer eventual problema que possa surgir. Vamos devolver a totalidade do valor pago, caso o artigo comercializado não seja entregue dentro dos prazos afixados ou for diferente do encomendado”.

Este marketplace dedica-se exclusivamente à venda de smartphones, porque é nesta área que Miguel Sousa se sente como um “peixe na água”. “Trabalho no sector dos smartphones há vários anos. Conheço bem o meio e tenho plena consciência de quais são os melhores vendedores no mercado europeu. Daí a minha confiança e o investimento neste novo projeto. Às vezes, perguntam-me o porquê de só estar interessado em vender telemóveis. E a resposta é mais simples do que parece: porque quero saber e conhecer aquilo que vendo. O marketplace está disponível para todos, mas procura ser um serviço personalizado, único”.

O projeto da Gadget Delírio vai nascer a 10 de março para se tornar um espaço online de referência. “Aqui, os consumidores poderão escolher o melhor smartphone atendendo às suas preferências e necessidades e a preços mais acessíveis do que nas lojas físicas”. De realçar que na plataforma o cliente irá poder selecionar o artigo que procura e, posteriormente, escolher se pretende novo, usado e, dentro do usado, optar pelo grau de usabilidade pretendido. Após fazer o pagamento, o artigo será entregue no máximo até 48 horas.

Este projeto, sediado em Braga, tem expectativas elevadas: para já, preveem vender entre 1.500 a 2.000 smartphones por mês, um valor que se traduz entre 50 a 67 encomendas por dia.

Publicidade

Quinas quer ser a terceira marca de cerveja nacional

Auchan em campanha nacional para apoiar o Banco Solidário Animal