in

Mais de mil milhões de pessoas terão acesso a cobertura de 5G até ao final de 2020

A Ericsson projeta que quatro em cada 10 subscrições de redes móveis em 2026 serão de 5G.

Esta previsão consta da edição mais recente do “Mobility Report”. O relatório prevê que, por volta do final de 2020, mais de mil milhões de pessoas, isto é, 15% da população mundial residirão numa área com cobertura de 5G devidamente implementada. Em 2026, 60% da população mundial terá acesso a cobertura de 5G, com uma previsão de 3,5 mil milhões de subscrições do 5G.

 

220 milhões de subscrições de 5G globais

Uma vez que as prestadoras de serviços continuam a dedicar-se ao desenvolvimento das respetivas redes, a Ericsson elevou para 220 milhões a sua estimativa, para o final de 2020, no que respeita a subscrições de 5G globais. O aumento deve-se em grande medida à rápida adesão verificada na China, alcançando 11% da sua base de subscrições de redes móveis. Tal é motivado por um enfoque estratégico a nível nacional e uma concorrência intensa entre as prestadoras de serviços, aliados ao acesso a smartphones de vários fabricantes aptos para o 5G cada vez mais económicos.

Espera-se que a América do Norte termine o ano com o 5G a representar cerca de 4% de todas as suas subscrições de redes móveis. A comercialização desenvolve-se já a um ritmo rápido e a Ericsson prevê que, por volta de 2026, 80% das subscrições de redes móveis na América do Norte sejam de 5G, o valor mais elevado de qualquer região no mundo.

A Europa terminará o ano com cerca de 1% de subscrições de 5G na região. Durante o ano, vários países atrasaram os respetivos leilões de espetro de rádio, necessário para sustentar a implementação do 5G.

Este ano testemunhámos um grande salto da sociedade rumo à digitalização. A pandemia acentuou o impacto que a conectividade tem nas nossas vidas e atuou como catalisador para uma mudança rápida, algo que ficou claramente demonstrado nesta última edição do ‘Mobility Report’ da Ericsson”, afirma Fredrik Jejdling, vice-presidente executivo e chefe de redes da Ericsson. “O 5G está a entrar na fase seguinte da sua evolução, em que novos dispositivos e novas aplicações retiram o máximo partido dos benefícios que oferece, enquanto as prestadoras de serviços continuam a expandir esta tecnologia. As redes móveis são uma infraestrutura essencial em muitos aspetos da vida diária e o 5G, em particular, será decisivo para a prosperidade económica futura”, refere.

 

Novas aplicações

O relatório também realça o porquê de o sucesso do 5G não se limitar apenas à cobertura ou aos números de subscrições. O seu valor será igualmente determinado por novas aplicações e novos casos de utilização (estes últimos já começaram a emergir).

Será introduzido nas redes de 5G o IoT essencial, destinado a aplicações urgentes que exigem um fornecimento de dados dentro de um determinado período. Isto permitirá uma ampla variedade de serviços carentes de resposta rápida para os consumidores, as empresas e as instituições públicas em vários sectores, com redes de 5G públicas e dedicadas.

Os jogos na nuvem constituem outra categoria de aplicações emergente. As capacidades combinadas fornecidas pelas redes de 5G e pelas tecnologias informáticas de ponta permitirão serviços de streaming de jogos em smartphones com uma qualidade de experiência (QoE) equivalente às opções de PC ou consolas, abrindo a porta a jogos inovadores e imersivos baseados na mobilidade.

Publicidade

Mariquinhas

Mariquinhas lança campanha Ofereça Portugal

Chicco

Chicco apresenta novo serviço Click&Collect