in

Mais de 150 mil lojas encerradas nos Estados Unidos após o final da pandemia

Foto rblfmr/Shutterstock

Os analistas da UBS preveem, pelo menos, dezenas de milhar de encerramentos de lojas nos Estados Unidos da América como resultado das mudanças no comportamento do consumidor.

Os analistas temem que, pelo menos, uma em cada 11 lojas irão encerrar ao longo dos próximos cinco anos. Material de escritório, equipamento desportivo e moda são os sectores mais ameaçados pelo crescimento do e-commerce durante a pandemia.

Contudo, os números apenas refletem um cenário base. Na pior das hipóteses, será o dobro dos encerramentos, atingindo mais de 150 mil lojas.

 

Centros comerciais em perigo

O relatório da UBS foca-se especificamente no mercado norte-americano, que é caracterizado por alguns aspetos únicos que não permitem extrapolar a análise para o mercado europeu. Por exemplo, a maioria dos encerramentos irá ter lugar nos centros comerciais, que assumiram uma dimensão e escala no mercado norte-americano sem paralelo na Europa.

De acordo com uma estimativa recente da consultora imobiliária Green Street Advisor, ainda existem cerca de mil centros comerciais nos Estados Unidos, muitos dos quais em dificuldades. Há dois anos, a Green Street Advisors previa que desaparecessem até 2030, mas uma pesquisa mais recente indica agora que irão desaparecer antes do final deste ano.

 

Tendências que também afetam a Europa

Existem também algumas tendências a afetar o mercado europeu. Um estudo conduzido na Alemanha estima 80 mil encerramentos de lojas até 2023 e no Reino Unido contam-se já 15 mil lojas fechadas. Durante os períodos de confinamento, os consumidores viraram-se para o e-commerce e esta aceleração será para manter.

Publicidade

Danone

160 postos de trabalho afetados em Portugal e Espanha pelo projeto de transformação da Danone

Nivea

Vendas da Beiersdorf crescem 6,3%