in

Kiabi quer 100% da coleção sustentável até 2030

Em 2019, a Kiabi irá multiplicar por oito o volume de produtos desenhados ecologicamente, em comparação com o ano anterior.

Dentro de cinco anos, a oferta sustentável representará 70% das coleções. A previsão será atingir 100% até 2030. Os nossos produtos não pretendem ser exemplares em todos os sentidos, mas as nossas linhas ecologicamente concebidas são avanços significativos no sentido de tornar a moda mais responsável. Alguns exemplos? As nossas t-shirts de crianças a dois euros já são atualmente fabricadas em algodão orgânico. Os nossos jeans masculinos e femininos, inferiores a 20 euros, são produzidos com menos água e produtos químicos e suas lavagens feitas a laser. Os produtos que não chegam a ser comercializados são objeto de ações solidárias. Onde quer que operemos, trabalhamos para reduzir a pegada de carbono das nossas atividades, desde os serviços centrais às lojas, da web à logística. Por trás da etiqueta Kiabi, 10 mil funcionários são treinados em práticas recomendadas de responsabilidade social empresarial e apoiam os nossos produtores parceiros neste processo”, afirma Nicolas Hennon, Leader Kiabi World. 

Do design à reciclagem de fim da vida, a moda Kiabi faz parte de uma abordagem ética e responsável. Consciente da pegada ambiental dos produtos têxteis, a Kiabi está a desenvolver uma gama de produtos de algodão orgânico. Em março, a marca assinou um acordo com o BCI (Better Cotton Initiative) para incentivar o sector de algodão sustentável e substituir todo o algodão convencional por algodão mais sustentável dentro de sete anos. Desde a mala de maternidade às T-shirts para bebés e crianças a partir de dois euros, passando pelas coleções cápsula para adultos, existem mais de 10 milhões de peças que foram projetados em algodão orgânico ou algodão maioritariamente bio já disponíveis neste verão.

Publicidade

Publicidade

Amazon e Casino reforçam parceria

Nescafé Dolce Gusto e Krups apresentam máquina de café com ligação ao smartphone