Inflação
Foto Shutterstock
in

Inflação na zona euro confirmada em 9,1%

A inflação da zona euro atingiu, em agosto, um novo recorde de 9,1%, confirmou o gabinete de estatísticas da União Europeia, o Eurostat, impulsionado pela subida acentuada dos preços da energia e dos produtos alimentares, e deverá encaminhar-se para o dobro dos valores.

O índice de preços no consumidor, nos 19 países que utilizam o euro, aumentou 0,6%, em termos mensais, e 9,1%, em termos homólogos, a taxa mais elevada desde a criação do euro em 1999. Na sua estimativa flash no final de agosto, o Eurostat tinha dado um valor de variação mensal de 0,5%. O valor anual de 9,1% não foi revisto.

 

Energia

Segundo o Eurostat, a energia foi responsável por cerca de 3,95 pontos percentuais da variação anual, devido à subida dos custos no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, e os alimentos, álcool e tabaco por cerca de 2,25 pontos. Mas, mesmo excluindo a energia e os alimentos não transformados, que o Banco Central Europeu chama de inflação de base, os preços, em agosto, foram 5,5% mais elevados face a 2021. Os bens industriais encareceram 5,1% e os serviços 3,8%.

H&M

H&M fatura mais 3% no 3.º trimestre

In,The,Hand,Of,A,Woman,Is,A,Mobile,Phone

Mercado global de smartphones cai 6% em 2022