in

Inflação global deverá subir para 7,5% até ao final de 2022, diz GlobalData

Foto Shutterstock

A GlobalData aumentou a sua taxa de inflação global prevista para o final de 2022 em 2,7 pontos percentuais, atingindo 7,5%. A empresa diz que a decisão foi motivada pela crise do custo de vida, pelo aumento dos custos de combustível e energia, e pela perturbação global da cadeia de abastecimento causada pela guerra Rússia-Ucrânia.

A previsão original, feita em fevereiro, previa uma taxa de inflação de 4,8% até ao final de 2022.

 

Médio Oriente

A GlobalData prevê que a taxa de inflação na região do Médio Oriente e África (MEA) permaneça elevada em 18,7% em 2022, uma revisão para cima de 10,9% em fevereiro de 2022. Os países que deverão registar os maiores aumentos da taxa de inflação na região em 2022 são Turquia (63,9%), Irão (32,8%), e Nigéria (16,9%).

Em junho de 2022, a Arábia Saudita registou uma taxa de inflação de 2,3%, contra 2,2% em maio de 2022, devido a um aumento do preço dos alimentos (4,7%) e dos transportes (2,5%).

 

Europa

Na Europa, o conflito Rússia-Ucrânia e o número de sanções impostas à Rússia exacerbaram as pressões sobre as já tensas cadeias de abastecimento globais.

A GlobalData reviu as suas projecções da taxa de inflação para a Europa em 2022 para 9,4% em julho de 2022. Estima-se que a Ucrânia (21,5%), Rússia (16,9%), Polónia (13,1%), República Checa (14%), Bélgica (8,9%), e Países Baixos (8%) tenham o nível de inflação mais elevado da região em 2022, de acordo com a GlobalData.

 

Américas

Prevê-se também que o conflito na Ucrânia leve as taxas de inflação a máximos históricos nas maiores economias das Américas, incluindo os EUA (7,7%), Canadá (6,7%), Brasil (9,6%), Argentina (59,3%), Chile (10%), e Colômbia (8,8%) em 2022.

O aumento da inflação foi causado por um aumento dos preços dos alimentos e da energia. Em junho de 2022, a taxa de inflação nos EUA foi registada em 9,1%, a mais alta desde novembro de 1981, impulsionada por um aumento dos preços do petróleo (98,5%), gasolina (59,9%), e alimentos (10,4%).

A GlobalData prevê que a taxa de inflação na região das Américas suba para 7,5% no final de 2022, com base na previsão feita em julho de 2022, que é uma revisão em alta acentuada em relação à previsão de 4,4%, feita em fevereiro de 2022.

 

Ásia-Pacífico

A taxa de inflação na região da Ásia-Pacífico deverá subir para 6,6% em 2022, uma revisão de 2,7 pontos percentuais acima da sua previsão anterior e um aumento de 2,7% em 2021. O Sri Lanka (29,7%), Turquemenistão (17,5%) e Mongólia (15,5%) deverão ter os níveis de inflação mais elevados da região em 2022. As projecções das taxas de inflação para a Índia e China até ao final de 2022 foram revistas no sentido ascendente para 6,8% e 2,4%, respectivamente, a partir da previsão anterior da GlobalData de 5,3% e 2,1% respectivamente.

A taxa de inflação no Sri Lanka disparou para 54,6% em junho de 2022, com o custo dos alimentos e do transporte a aumentar 80,1% e 128%, respectivamente, numa base anual. A Índia registou uma taxa de inflação anual de 7% devido a um aumento anual (YoY) dos preços dos alimentos (7,8%) e dos combustíveis e electricidade (10,4%).

vinho

ASAE fiscaliza comercialização de hortofrutícolas em mercados abastecedores

Intermarché

Intermarché reduziu 16% de açúcar e 28% de sal nos produtos PorSi