in

Grupo Terras & Terroir alarga a sua influência ao Alentejo com a entrada da Herdade da Rocha

O Grupo Terras & Terroir dá sequência ao seu processo de expansão com a entrada no portfólio da Herdade da Rocha, propriedade localizada no concelho alentejano do Crato.

O grupo, fundado em 2020, integra já a Quinta da Pacheca e a Quinta do Barrilário, no Douro, a Caminhos Cruzados, no Dão, e a Quinta do Ortigão, na Bairrada, e estende agora a sua influência à Região Demarcada do Alentejo, com esta empresa conhecida pela mineralidade e frescura dos seus vinhos e por uma oferta de enoturismo de categoria superior.

 

Valorizar o potencial das regiões

Esta operação insere-se na política estabelecida pelo grupo, detido pelos empresários Maria do Céu Gonçalves, Álvaro Lopes e Paulo Pereira, de valorizar o potencial de todas as regiões portuguesas que se dedicam à produção de vinho, com respeito pelo terroir e pelo carácter identitário de cada uma.

A Herdade da Rocha enquadra-se, perfeitamente, dentro do espírito e dos valores que regem o nosso modelo de negócio, inclusive pela presença do enoturismo, uma valência em que acreditamos muito e cujos resultados estão à vista na Quinta da Pacheca”, considera a administração do Grupo Terras & Terroir.

Nas restantes empresas, o grupo tem mantido a maior parte dos elementos das anteriores equipas. O mesmo acontecerá na Herdade da Rocha, com parte da equipa a manter-se em funções, nomeadamente o a fundador do projeto, Mário Rocha.

 

Projeto alentejano

O projeto Herdade da Rocha nasceu da paixão de Mário Rocha, também fundador da conhecida empresa de mobiliário Antarte, de Paredes. Com cerca de 60 hectares junto à serra de S. Mamede, a Herdade da Rocha dedica nove hectares de vinha para produção própria e que colocou no mercado, no ano transato, cerca de 75 mil garrafas de vinho.

A empresa lançou a sua primeira colheita em 2012, engarrafando uma série limitada 1.350 garrafas e, em 2013, avançou para a produção dos vinhos Couto Saramago Red Wine e Couto Saramago Seleção. O ano de 2016 ficou assinalado pelo lançamento dos vinhos branco e rosé. A marca Herdade da Rocha chegaria mais tarde.

Em 2014, foi construída uma adega de dois mil metros quadrados, da autoria do próprio Mário Rocha. Ali podem encontrar-se três lagares graníticos na zona de vinificação, que é decorada com grafites do artista Fábio Carneiro. A sala das barricas está revestida com ripas de madeira e as portas de madeira maciça, esculpidas pelo artista Paulo Neves, contruídas a partir da árvore Cryptomeria. Também ao longo do espaço podem admirar-se várias obras de arte.

Atualmente, a Herdade da Rocha coloca no mercado vinhos brancos, tintos, rosés e monovarietais das castas Alvarinho, Arinto, Alicante Bouschet e Syrah. Tem, ainda, a marca Dueto, que resulta da conjugação do Douro e Alentejo num só vinho.

 

Unidade de enoturismo

A Herdade da Rocha também possui uma unidade de enoturismo, cuja decoração é marcada pela presença de elementos naturais. São oito as unidades de alojamento, divididas entre o edifício principal e suites externas individuais, piscina, estacionamento privativo e terraço comum.

A gastronomia regional alentejana, com uma interpretação mais cosmopolita, também está disponível no restaurante do empreendimento. Da oferta da Herdade da Rocha consta, ainda, a possibilidade de fazer piqueniques, calcorrear os passadiços, treinar golfe ou visitar a tapada cinegética, onde se podem encontrar ovelhas, cabras, veados ou coelhos bravos.

transformação digital

Transformação digital pode fazer crescer a economia da União Europeia em 2,8 triliões de euros

baltar_Porto

Meu Super abre novas lojas no Porto e em Viseu