in

Gastos em compras este Natal serão os maiores dos últimos cinco anos

Pela primeira vez nos últimos cinco anos, cada português deverá gastar 301 euros em compras de Natal. A conclusão é de um estudo realizado pelo IPAM – The Marketing School que analisa o comportamento dos consumidores durante a quadra natalícia. Os consumos de Natal deverão aumentar mais de 10 por cento face ao valor médio apurado em 2014 e que havia ficado pelos 279 euros.

Prevê-se, assim, que em 2015 os gastos possam estabelecer um novo máximo desde 2010, ano em que cada português desembolsou, em média, 373 euros. Do estudo levado a cabo pela escola de marketing ressalta um outro dado inédito desde que este trabalho anual é realizado: são em maior número os consumidores que referem que vão gastar mais face a 2014 (18 por cento) do que aqueles que vão gastar menos (13 por cento). Apesar da fatura a pagar pelos presentes ser superior face aos valores dos últimos anos, a verdade é que a maioria deverá circunscrever a oferta de presentes ao núcleo familiar. Apenas um em cada três inquiridos (34 por cento) planeia oferecer prendas a amigos. No que toca à escolha dos presentes a oferecer, o estudo constata aquilo que já vem sendo tradição: brinquedos (32 por cento) para as crianças; roupa e sapatos (33 por cento) para adolescentes e adultos.

Mais portugueses à espera dos saldos para comprar presentes
Apesar dos centros comerciais continuarem a ser os espaços de eleição para as compras de Natal, o estudo do IPAM mostra que o comércio de rua e a Internet ganham cada vez mais adeptos: cerca de um em cada quatro inquiridos (22,1 por cento) deverá efetuar as suas compras exclusivamente num destas opções de comércio. A maioria dos consumidores (81,6 por cento) realizará as suas compras, como é tradição, durante o mês de dezembro, ainda que 14,4 por cento refira que só comprará os presentes no período de saldos, após a celebração da quadra.

Publicidade

Publicidade

Gasolineiras Jumbo com sistema de abastecimento rápido

Jungheinrich equipa centro de distribuição da IKEA Rússia