in

FMCG e e-commerce terão de evoluir para uma nova era

Foto Shutterstock

Os cestos de compras não são os mesmos depois de dois anos de pandemia. O crescimento, à medida que as restrições impostas devido à Covid-19 aliviam, requer novas estratégias, alerta a Kantar, num artigo assinado por Stéphane Roger, Global Shopper & Retail Director.

Segundo a consultora, as conclusões atualizadas do estudo “Winning Omnichannel” confirmam que as mudanças comportamentais representam oportunidades para as marcas satisfazerem as novas necessidades dos consumidores. De janeiro a setembro de 2021, o crescimento dos Fast Moving Consumer Goods (FMCG) desacelerou para apenas 0,8% e as compras para consumo no lar continuam a ser 8,4% mais elevadas do que antes da pandemia.

Entretanto, o e-commerce continua a liderar o crescimento dos canais, embora a um ritmo mais lento: registou um aumento de 17%, de janeiro a setembro, em comparação com um aumento impressionante de 42% do ano anterior.

Regresso às tendências pré-pandemia

O estudo baseia-se nos painéis da Kantar em sete grandes mercados (Reino Unido, França, Espanha, China Continental, Indonésia, Brasil e México), que representam 29% da população global, e mostra que se está a regressar às tendências pré-pandemia. Não obstante, há que estar atento a comportamentos que permanecem predominantes, como o teletrabalho.

Mesmo a maior história de sucesso da pandemia, o e-commerce, terá de se adaptar, em 2022, se quiser manter o seu grande crescimento. As plataformas de e-commerce terão de encontrar novos compradores, para impulsionar o crescimento adicional. Os dados dos sete mercados mostram curvas cada vez mais planas em 2021”, alerta Stéphane Roger.

Publicidade

Spalls Extra Finas

Spall’s: a nova marca de chips de batata-doce

Onelive Site Live Shopping Experience 1_Mobile Friendly[1]

Marketshow lança em Portugal a plataforma de live stream shopping Onlive.site