in

El Corte Inglés responde à Amazon com entregas em 30 minutos

O presidente do El Corte Inglés, Dimas Gimeno, considera que é nos momentos positivos que devem ser tomadas as decisões estratégicas e fazer os grandes investimentos. Esta foi a mensagem deixada na sua intervenção no World Retail Congress, que decorreu recentemente em Madrid, e onde o gestor reconheceu a obrigação de conservar um legado de 75 anos de história, ao mesmo tempo que prossegue a transformação numa empresa “muito moderna e consciente do que está a passar”.

Nesse contexto, onde a estratégia omnicanal é fundamental, Dimas Gimeno centrou-se em dois aspetos-chave para o futuro: o uso de dados dos clientes e o papel das lojas El Corte Inglés como grandes armazéns. Sobre o primeiro ponto, o presidente do grupo espanhol explicou que a base de dados de 11 milhões de clientes é um ativo importante, mas não tanto quanto a sua correta utilização. Relativamente ao segundo ponto, o papel das lojas no negócio de comércio eletrónico, Dimas Gimeno explicou que estas se transformarão em centros que também funcionarão como armazéns, que garantirão as entregas ao domicílio com a máxima brevidade. “Se fizermos tudo bem, poderemos entregar no prazo de 30 minutos, que é imbatível. Permitir-nos-á marcar a diferença face aos grandes atores do mercado”.

Publicidade

Publicidade

Formato do KitKat não pode ser registado como marca na União Europeia

Sainsbury’s utiliza bicicletas elétricas nas entregas ao domicílio