in

E-commerce continua em crescendo

Foto Shutterstock

O e-commerce voltou a ser um indicador relevante na dinamização do consumo no regresso ao confinamento geral e às medidas mais restritivas no controlo da pandemia, representando, no último mês de janeiro, 16% do total de compras eletrónicas, de acordo com os dados SIBS Analytics.

Neste contexto, o MB WAY destacou-se com um dos métodos de pagamento preferidos dos portugueses, consumidores e empresas, com um crescimento de 269% neste canal, em comparação com o mesmo período do ano passado.

De facto, o número de transações no e-commerce continua em crescendo face ao período homólogo, em contraciclo com a tendência geral de quebra de consumo. Em janeiro, registou-se um incremento de 37% das compras online, em comparação com o mesmo período do ano passado, em resultado das recentes medidas.

 

Compras físicas caem 34%

Também nas compras em loja, o incremento da utilização do MB WAY tem sido significativo, registando um crescimento de 234% no último mês, face a janeiro de 2020.

Numa perspetiva global, e comparativamente com o ano anterior, registou-se um decréscimo de 22% nas compras físicas na rede Multibanco, em janeiro, face ao mesmo mês de 2020. Na análise por quinzena, no pré e atual confinamento, verifica-se que a quebra é ainda mais acentuada nos últimos 15 dias, com as compras físicas a caírem 34%, em linha com o registado no primeiro confinamento de março a maio.

Na análise geográfica, verifica-se que todas as regiões do país, sem exceção, registaram quebras significativas no consumo em loja. A região de Lisboa e Vale do Tejo foi a zona onde a retração no consumo mais se acentuou, tendo atingido os -30% no último mês de janeiro, em comparação com o mesmo período do ano anterior, valores muito próximos do primeiro confinamento. Já o arquipélago dos Açores, com medidas menos restritivas, foi a região onde se verificou uma evolução menos negativa, tendo-se registado uma redução de 5% face ao mesmo período do ano anterior, e bastante longe dos valores de março a maio de 2020, em que se registaram quebras de 24%.

O valor médio das compras registado em janeiro último foi de 37 euros em loja e de 34,9 euros no online, com uma variação de -4% em ambos os canais, face a novembro e dezembro de 2020.

Publicidade

perfume

Hugo Boss e Calvin Klein são as marcas de perfume preferidas dos portugueses

Mercadona

Mercadona é a empresa mais inovadora para a ComputerWorld