in

DPDgroup cria solução para diminuir atrasos na entrega das encomendas online num pós-Brexit sem acordo

Num cenário em que se avança para um Brexit sem acordo, as taxas adicionais de alfândega e administrativas seriam imediatamente aplicadas ao fluxo de encomendas entre países europeus e o Reino Unido. Embora estes encargos obrigatórios sejam inevitáveis, maiores tempos de entrega, outra consequência significativa, podem ser mitigados. Como tal, o DPDgroup desenvolveu uma solução específica de faturação para retalhistas online que enviem mercadoria de e para o Reino Unido.

Esta solução permite um pagamento online destas taxas adicionais por parte do comprador no momento do pagamento da sua encomenda no website. Uma vez que as taxas alfandegárias são pagas antecipadamente, nenhum custo administrativo será aplicado. Assim, as encomendas enviadas com esta solução vão imediatamente entrar na rede da DPD e chegar ao país de destino, evitando tempo de retenção nas alfândegas. “Estamos atentos a todos os desenvolvimentos do processo de saída do Reino Unido da União Europeia, uma vez que isto se pode traduzir, entre outras coisas, em custos adicionais para o comprador online. Apesar disso, estamos confiantes que os estudos e investimentos que temos efetuado nos oferecem uma maior segurança quanto à suavidade no futuro dos processos alfandegários a partir da data da saída, seja qual for o cenário”, afirma Olivier Establet, presidente da DPD em Portugal.

70% de compradores online admitem deixar de comprar em sites do Reino Unido

No caso de um Brexit sem acordo, os bens adquiridos online por parte de países europeus ao Reino Unido podem vir a incluir taxas adicionais alfandegárias e outros custos administrativos. O cliente final pode vir a ter pagar estes custos ainda antes da entrega, aquando da entrada dos bens no país destino. Os bens podem ficar retidos até que estas taxas sejam pagas, resultando num maior número de fases no processo, bem como maiores tempos de entrega.

De acordo com o estudo de mercado da GfK realizado em parceria com o DPDgroup a 24.258 e-shoppers em 21 países europeus, para a avaliar as tendências do e-commerce, caso sejam introduzidos custos adicionais, 70% dos e-shoppers que comprem de sites do Reino Unido consideram deixar de o fazer, enquanto que 69% dos compradores do Reino Unido deixariam de comprar além fronteira.

Pelo menos 1/3 dos produtos vendidos na Europa são de marca distribuição

Carlsberg revela protótipos de garrafas de cerveja de papel