in

Crescimento do comércio vai continuar a perder força

De acordo com a última previsão para três meses do “Barómetro do Comércio Global da DHL” (GTB, pela sua sigla em inglês), o crescimento do comércio vai continuar a perder força. O índice de crescimento geral diminuiu quatro pontos, em comparação com a última atualização, em dezembro.

Contudo, com uma pontuação de 56 pontos em março, o índice ainda indica um ligeiro crescimento, embora se aproxime cada vez mais do limiar dos 50 pontos, o que marca a linha entre o crescimento positivo e negativo da metodologia do GTB. Nenhum dos países analisados mantém um índice geral de 60 pontos ou mais, com uma perspetiva de desaceleração para quase todos. Os únicos que atualmente resistem à tendência de queda são a Alemanha e o Reino Unido.

 

 

A perspetiva média global mais fraca é impulsionada por taxas de crescimento reduzidas no comércio aéreo e marítimo. O valor do índice global para o comércio aéreo diminuiu quatro pontos, para 55 pontos. A taxa de crescimento do comércio marítimo global diminuiu de cinco pontos, para 56 pontos.

A desaceleração geral do crescimento esperado do comércio também se reflete nas pontuações específicas do país: apenas os índices comerciais gerais da Alemanha e do Reino Unido melhoraram ligeiramente, em dois pontos. As pontuações dos restantes cinco países analisados diminuíram.

Resistência à guerra comercial e Brexit

Independentemente das discussões em curso no Brexit, juntamente com o receio de uma potencial recessão, as perspetivas para o crescimento do comércio britânico permanecem positivas a um nível de 54 pontos (mais dois) indicando, pelo menos, o crescimento fraco, mas sem declínio no comércio internacional. No entanto, prevê-se que esse desenvolvimento seja impulsionado pelo reabastecimento de bens no período que antecede o Brexit.

Também o índice de comércio da Alemanha melhorou em dois pontos, para 53 pontos. O crescimento moderado previsto para a Alemanha baseia-se principalmente na previsão das exportações alemãs de carga aérea, que aumentaram nove pontos. Esta tendência é mais provável devido ao crescente comércio transatlântico.

Apesar das tensões comerciais entre os Estados Unidos da Américae a China, as perspetivas para o comércio chinês diminuíram apenas em um ponto, para 56 pontos, indicando um pequeno crescimento do comércio, sem recessão. Os Estados Unidos, no entanto, apresentam um declínio de cinco pontos, para 55 pontos, ficando em pé de igualdade com a China em termos de crescimento comercial previsto para os próximos três meses.

Amêndoas Vieira ganham uma nova cobertura

Ceetrus Portugal lança plataforma para apoiar lojistas e otimizar processos