in

Coronavírus deverá afetar transporte aéreo e retalho mundial

Foto: Robert Wei / Shutterstock.com

O tráfego aéreo de passageiros, assim como os ambientes de retalho dos aeroportos, estarão entre os mais afetados pelo surto do coronavírus.

De acordo com os números da GlobalData, apesar das vendas das lojas dos aeroportos estarem projetadas crescer 6,1% face a 2019, para os 48,2 mil milhões de euros, este número deverá ser menor devido à ameaça mundial do coronavírus e, particularmente, pela queda no turismo proveniente da China. “Ao longo dos últimos anos, os retalhistas presentes nos aeroportos, especialmente na Europa, adaptaram as suas propostas de valor, integrando soluções de pagamento chinesas e contratando colaboradores fluentes em mandarim, para maximizar as oportunidades de vendas. Se o turismo proveniente da China se ressentir com o surto viral, estes operadores de retalho terão, necessariamente, de adaptar as suas estratégias para atrair outro tipo de passageiros”, afirma Honor Strachan, analista principal na GlobalData.

A consultora nota que o surto de SARS, em 2003, atingiu fortemente os gastos turísticos, o que levou muitas companhias aéreas a manter aviões em terra.

Publicidade

Publicidade

IKEA abre pontos de recolha em Coimbra e na Madeira

DB Schenker implementa empilhador autónomo sem condutor