in

Bosch expande atividades de investigação em Ovar

A Bosch anunciou a constituição de uma nova equipa de investigação e desenvolvimento, em Ovar, que marca a entrada de engenheiros portugueses na divisão de Ferramentas Elétricas do grupo alemão.

Serão contratados cerca de 20 engenheiros e estes serão responsáveis pela criação de software, hardware e teste de todas as gerações futuras dos robôs corta relva da Bosch, em parceria com equipas na Alemanha e Inglaterra.

A Bosch continua,, assim a expandir o número de empregos qualificados nas unidades de Ovar, Aveiro e Braga, que já têm feito I&D nas áreas de tecnologias de edifícios, soluções de água quente para casas inteligentes e mobilidade, respetivamente.

Um dos fatores decisivos na escolha de Ovar para o estabelecimento da nova equipa de I&D para as Ferramentas Elétricas da Bosch foi o facto de, desde 2016, esta unidade ser responsável pela produção de componentes eletrónicos para os robôs corta relva e, nesse sentido, ser possível acompanhar todo o processo, num só local, desde a criação da ideia até ao produto final. A empresa terá, inclusivamente, zonas de testes dentro das próprias instalações para que os engenheiros consigam, em ambiente real, testar as soluções que desenvolverem. “Sabemos que este é um passo muito importante na I&D em Portugal e que contribuirá positivamente para que Ovar faça parte do leque de regiões do país atrativas para o desenvolvimento da tecnologia do futuro. Algo que pesou na decisão de trazer essa equipa para Portugal foi a nossa capacidade de trabalho, flexibilidade e a criatividade”, conclui António Pereira, administrador da Bosch em Ovar.

A Bosch foi uma das empresas pioneiras na aposta em Portugal como polo para atividades de investigação e desenvolvimento. Nos últimos cinco anos, a empresa tem vindo a reforçar as suas equipas e a trazer novos projetos para o país e hoje conta com mais de 500 engenheiros a criar soluções em Aveiro, Braga e Ovar. Para o próximo ano, está prevista a expansão do número de empregos qualificados no país com a contratação de cerca de 200 profissionais para o desenvolvimento de software, eletrónica, mecânica, entre outras especialidades.

A par de Ovar, que já tinha uma equipa de I&D para sistemas de videovigilância, incêndio e comunicação, e está a receber uma nova equipa de I&D para a divisão de Ferramentas Elétricas, outra das grandes apostas da Bosch em Portugal é uma equipa que desenvolverá software de base (Middleware), que será a espinha dorsal de toda a componente tecnológica dos veículos do futuro e da própria condução autónoma. As principais preocupações são disponibilizar software aberto e compatível com os vários fornecedores, mas ao mesmo tempo garantir a sua total segurança e fiabilidade. Dada a complexidade destes projetos, é necessário o acesso rápido a testes e prototipagem de hardware e a unidade em Braga oferece todas as condições necessárias para que isso aconteça. “A competência das nossas equipas, as parcerias de I&D com universidades de referência no país e o apoio que recebemos do Governo são um fator de confiança e motivação que nos tem levado a reforçar as nossas equipas por cá. Por isso, crescer em Portugal está nas nossas mãos e a inovação é o caminho”, afirma Carlos Ribas, representante da Bosch em Portugal.

Publicidade

Publicidade

Auchan lança as suas lojas autónomas e sem caixas no mercado europeu

5 previsões para o retalho alimentar em 2019