in ,

Alimentação entre os sectores com maior crescimento devido ao Covid-19

Imagem Shutterstock

A pandemia global provocada pelo Covid-19 provocou mudanças significativas no consumo, confirma um estudo do Singular Bank, que revela que o sector da alimentação tem sido um dos que mais cresceu devido à crise de saúde.

Nesse sentido, o estudo lembra que, durante o confinamento, só era possível sair à rua para o essencial: ir trabalhar, levar o cão a passear ou fazer compras básicas relacionadas à alimentação ou farmácia. Assim, estes dois sectores foram os que viram maior crescimento.

Além disso, a cesta de compras do consumidor transformou-se. Nos primeiros dias, e diante das dúvidas iniciais, os clientes varreram os supermercados com medo de ficar sem abastecimento e a demanda concentrou-se em produtos não perecíveis (massas, leguminosas, arroz …) e produtos de higiene. Assim, segundo dados da Nielsen, na primeira semana de confinamento, as vendas de grande consumo dispararam 71% em relação à mesma semana de 2019, enquanto na segunda semana o aumento já era de 74%.

No entanto, com o passar dos dias, os hábitos foram mudando e outros tipos de produtos ganharam relevância, como os relacionados à confeitaria (as vendas de fermento aumentaram 233% e as de papel manteiga, 123%). Destaca-se também o crescimento das bebidas de baixo teor alcoólico, que passaram a ter maior peso na cesta de compras das famílias. Estes dados mostram até que ponto a pandemia criou novas rotinas alimentares.

 

Crescimento do consumo online

Durante esta altura, os consumidores foram gradualmente removendo muitos preconceitos e medos em relação ao canal online, e abraçaram este canal para fazer as suas compras habituais.

As vendas pela Internet cresceram mais de 50%. Esta mudança no modelo de consumo deveu-se principalmente à tentativa de evitar a sobrelotação dos estabelecimentos”, explica Victoria Torre, responsável de Análise e Seleção de Fundos do Singular Bank. “Mas, depois de concluído o período de confinamento, muitos utilizadores, que antes compravam sempre numa loja física, possivelmente continuam a fazê-lo online“.

Para além do consumo de alimentação, existem outros sectores que têm mostrado maior solidez, quer ao nível da evolução das suas vendas, quer ao nível do comportamento da bolsa. Um deles é o segmento da farmácia. Não só porque aumentou a venda de alguns produtos, como máscaras ou medicamentos, mas também por causa das expectativas de empresas que anunciam estudos para uma futura vacina contra o Covid-19 ou têm como foco a comercialização de testes de detecção.

O mesmo pode ser dito das empresas de produtos de higiene, que beneficiaram de um aumento substancial nas vendas, já que o vírus exige limpeza extrema em todas as áreas, destaca o estudo.

Publicidade

Aveleda

Aveleda apresenta Workshop de Águas

online

Número de transações online aumentou 44% em Portugal