in

AdegaMãe conquista primeiro Prémio Excelência para um vinho branco da região de Lisboa

O AdegaMãe Terroir Branco 2013, o novo vinho branco topo de gama da AdegaMãe, foi distinguido com o Prémio Excelência atribuído na gala anual da “Revista de Vinhos”.

O mais importante prémio conquistado pela AdegaMãe, em apenas sete anos de existência, reveste-se também de uma dimensão histórica para a região de vinhos de Lisboa: nunca um vinho branco desta região tinha conquistado este prémio e só por uma ocasião tal tinha sucedido, mas com um tinto. “Desde o início, definimos como uma das bases do projeto dignificar e potenciar os vinhos de Lisboa. Este prémio veio mostrar que, com uma excelente equipa, na enologia, na produção e na vertente comercial, é possível elevar o nome de Lisboa ao nível dos melhores. Temos muito orgulho no trabalho desenvolvido e é com motivação que enfrentamos os tempos futuros, difíceis e desafiantes”, afirma Bernardo Alves, diretor geral da AdegaMãe.

No caso concreto da AdegaMãe, o Prémio Excelência conquistado surge em linha com outras distinções recentes. No último Encontro com o Vinho e Sabores, outro branco produzido pela casa, o Dory Reserva, conquistou o Grande Prémio Escolha da Imprensa e há precisamente um ano, igualmente na gala anual da “Revista de Vinhos”, a AdegaMãe foi eleita Empresa do Ano. “O Prémio Excelência é a mais importante distinção recebida pela AdegaMãe, pela sua importância no sector e porque é atribuído a um vinho – o AdegaMãe Terroir – que é o corolário de todo um trabalho de experimentação realizado desde a primeira vindima, há sete anos. Temos vindo a apurar a qualidade dos nossos vinhos e estamos muito orgulhosos porque o reconhecimento da crítica e do mercado nos coloca, definitivamente, entre os melhores produtores nacionais. As distinções recentes também apontam para outro objetivo a que nos propusemos, o de oferecer ao mercado uma das melhores gamas de brancos do país”, afirma o enólogo da AdegaMãe, Diogo Lopes.

A marca AdegaMãe Terroir surgiu no mercado no decorrer do ano de 2016, para completar a gama de vinhos até aqui comercializada. Esta marca apresenta-se como a mais exigente interpretação do terroir atlântico, propondo vinhos inéditos. São vinhos de assinatura, engarrafados a partir de colheitas excecionais e só em anos excecionais serão reeditados. São também vinhos exclusivos, tanto que o primeiro AdegaMãe Terroir Branco 2013, agora distinguido pela “Revista de Vinhos”, teve uma edição de apenas 2.765 garrafas, cada uma delas numerada, como forma de realce do seu carácter único. 

Publicidade

Publicidade

Lactalis faz derradeira tentativa de OPA à Parmalat

Henkel quer aumentar portfólio de limpeza