in ,

A digitalização na indústria de embalagens será mais influente do que a sustentabilidade

transformação digital
Foto Shutterstock

A sustentabilidade tem sido um foco importante para a indústria de embalagens nos últimos anos, mas a digitalização pode agora assumir-se como o principal impulsionador, uma vez que são necessárias eficiências na cadeia de fornecimento e reduções de custos pró-ativas para que as empresas ultrapassem as atuais pressões inflacionistas, descreve a GlobalData.

A indústria global de embalagens de consumo recuperou para mais de 4,1 biliões de unidades de embalagens, em 2021, após um declínio de 1% durante a pandemia, em 2020. No entanto, o crescimento futuro da indústria dependerá da capacidade das empresas para mitigarem os efeitos da inflação na cadeia de abastecimento, o que pode exigir uma mudança no foco estratégico de no sentido da digitalização. A digitalização combina várias tecnologias, tais como a inteligência artificial, 5G, Internet das Coisas e realidade aumentada e virtual.

Jenny Questier, analista sénior de consumo da GlobalData, comenta que “a sustentabilidade tem estado no topo de muitas agendas, particularmente porque as pressões regulamentares têm exigido que as empresas se concentrem no cumprimento. Contudo, a situação macroeconómica alterou-se e as empresas simplesmente não podem dar-se ao luxo de ignorar as implicações dos custos que resultam do aumento dos custos energéticos e de materiais“.

 

Inflação

De acordo com o inquérito aos consumidores no terceiro trimestre da GlobalData, 90% dos consumidores globais declara atualmente estar preocupado com o impacto da inflação no seu orçamento doméstico, demonstrando que este é um fator inevitável nas decisões de compra.

A sustentabilidade pode agora ser vista como algo de luxo quando se trata de embalagens, uma vez que tanto os consumidores como os clientes podem estar dispostos a comprometer-se nesta matéria para alcançar posicionamentos de preço o mais baixos possíveis para os produtos. As empresas de embalagem sentirão a pressão, tanto do aumento dos custos na cadeia de abastecimento como da redução do poder de compra dos consumidores, o que significa que terão de fazer o máximo possível para reduzir os custos e isso virá inevitavelmente através da digitalização. A digitalização das cadeias de abastecimento será imperativa para garantir que as empresas de embalagem possam otimizar a eficiência e a automatização“.

 

Digitalização

Um desenvolvimento chave na gestão da cadeia de abastecimento, durante a próxima década, será a integração destas tecnologias digitais ao longo de toda a cadeia de abastecimento. Por exemplo, a inteligência artificial pode ser utilizada para o planeamento da oferta e da procura para prever picos com maior precisão e, ao fazê-lo, otimizar a gestão do inventário, a poupança de custos e a eficiência da cadeia de abastecimento. Isto também ajudará a passar da entrega “just-in-time” para a entrega “just-in-case”, para ajudar a manter a disponibilidade do produto a todo o momento.

O aumento da digitalização no fabrico pode aumentar a produtividade, baixar os custos e melhorar a segurança. A maneira mais fácil de digitalizar é começar com um único processo empresarial, como armazenagem ou planeamento ‘front-end’. O aumento da automatização em todas as fases da cadeia de fornecimento irá melhorar a resiliência e reduzir o risco de ruturas e ajudar as empresas a gerirem com sucesso os custos e o fornecimento no futuro“.

Bettery

Bettery lança solução vegan Recovery que acelera a recuperação muscular

Revolut

Revolut alcança um milhão de utilizadores em Portugal