empresas
Foto Shutterstock
in ,

75% das empresas de alimentos e bebidas mundiais acredita que fatores ambientais estão a impactar o sector

Os riscos de ambiente, responsabilidade social e de governação (ESG, na sigla original) têm um impacto cada vez maior no sector alimentar e de bebidas, à medida que as empresas enfrentam os desafios combinados de controlar o impacto ambiental dos processos de produção e a perturbação da cadeia de abastecimento.

Num novo inquérito global, a WTW descreve as pressões que o sector alimentar e de bebidas enfrenta, como resultado da turbulência dos últimos dois anos, desde o impacto da pandemia até à rutura da cadeia de abastecimento causada pela volatilidade global, particularmente no que diz respeito ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia, que é suscetível de ter um impacto significativo no abastecimento alimentar global.

O inquérito também indica que a marca e a reputação, que está fortemente ligada à sustentabilidade, são um grande risco (46%), mas 55% dos inquiridos não tinha qualquer cobertura de reputação. 73% afirmou que a sua empresa não tinha um seguro específico para riscos ambientais e 67% não tinha cobertura de riscos ligados à cibersegurança. 42% não tinha cobertura para a recolha de produtos. Todos estes foram classificados como fatores de risco.

Por seu lado, os fatores externos fora do controlo da empresa, incluindo fatores geopolíticos (60%) e económicos (60%) foram considerados como os maiores desafios para mitigar o risco a médio prazo.

Apesar dos desafios dos últimos dois anos, 70% dos inquiridos está otimista de que o sector será mais rentável nos próximos dois anos, com os alimentos orgânicos (48%) a liderarem a lista de oportunidades de crescimento.

 

Estudo

empresas
José Barqueiro, diretor – Risk & Broking da WTW Portugal

José Barqueiro, diretor – Risk & Broking da WTW Portugal, afirma que “este estudo permite-nos perceber como as diferentes temáticas têm aumentado o seu nível de criticidade junto das organizações. Nesta pesquisa, apresentamos os principais obstáculos identificados pelas empresas no alcance dos seus objetivos estratégicos, sendo que alguns destes obstáculos são, agora, maiores, em função da atual situação geopolítica na Ucrânia e Rússia. Verificamos, também, que a consciencialização do impacto dos fatores ESG continua a ser crescente neste sector, traduzindo-se na preocupação dos consumidores com o investimento/desenvolvimento sustentável, com as mudanças climáticas e com a necessidade de saber como é que os alimentos são produzidos, designadamente o processo produtivo, o embalamento e o transporte”.

O inquérito envolveu a participação de 250 quadros superiores de organizações de produção, processamento e fabrico de alimentos, em todo o mundo, transversais às diferentes categorias, incluindo confeitaria, snacks, padaria, cereais, lacticínios, cervejaria, destilaria e refrigerantes.

Worten

Worten lança campanha dedicada às novas categorias de brico & jardim

Galp

Galp inaugura a primeira smart store num posto de abastecimento na Europa