in

63% dos portugueses prevê almoçar ou jantar fora e em grupo durante as celebrações

Foto Shutterstock

Enquanto a incerteza reina no sector pelo aumento de casos de Covid-19 e o regresso de algumas das restrições, os portugueses continuam a apostar na gastronomia fora de casa para celebrar. Segundo um estudo realizado pelo TheFork, 59% dos clientes tem planeado ter um almoço ou jantar de grupo para festejar o Natal e 63% prefere jantar em grupo em restaurantes, sempre que as circunstâncias o permitam.

Entre os que não irão celebrar encontros de grupo neste Natal, 80% opta por não o fazer por precaução, devido à pandemia. Apesar das precauções tomadas aquando do aumento de casos, até ao momento, os cancelamentos registados na plataforma não sofreram grande aumento, apenas 3% em comparação com o mesmo período em 2019.

 

Orçamento de menos de 25 euros

Com os olhos posto na pandemia, os portugueses planeiam festejar com os mais chegados. Segundo o mesmo estudo do TheFork sobre “Planos gastronómicos para as celebrações de 2021”, 70% dos inquiridos prevê aderir a uma a três refeições de grupo, 20% celebrará entre  três e cinco e 10% mais de cinco. A destacar que, neste tipo de eventos, 42% dos inquiridos celebrará com amigos, 40% só com a família e só 18% o fará com colegas de trabalho.

Já 36% dos inquiridos opta por um menu especial para grupos, preferencialmente em restaurantes de cozinha portuguesa, uma vez que consideram ser o tipo de cozinha mais consensual. No entanto, 40% dos inquiridos prefere inovar neste tipo de celebrações, deixando-se guiar pela relação qualidade/preço (51%) e pelas opiniões/críticas (12%).

Para estas reservas de grupo, 44% dos votantes refere um orçamento médio previsto de menos de 25 euros por pessoa, um orçamento igual ao de 2020 para 58% dos inquiridos, enquanto 16% pretende gastar um valor superior ao do ano passado.

 

Máximo 10 pessoas

Em relação à dimensão dos jantares de grupo, a maioria afirma que as comemorações serão feitas com 10 pessoas, no máximo (82%). Apesar de 23% desejar voltar a participar em jantares com um considerável número de pessoas, a verdade é que 74% prefere manter-se em grupos reduzidos, por precaução. Acompanhando a evolução verificada durante a pandemia, 28% prefere reservar apenas na semana do jantar.

O que sofreu uma grande quebra face a 2019 foram os jantares de empresa. 56% dos inquiridos afirma não ter sido organizada uma celebração empresarial, sendo que a percentagem de inquiridos que ainda não tem informação nem confirmação é diminuta (11%).

 

Passagem de ano

O Natal é considerado um festejo mais caseiro, mas a opinião muda relativamente à passagem de ano, com 37% dos inquiridos a afirmar que irá festejar a última noite do ano num restaurante.
A maioria optará por um restaurante de nível um pouco mais elevado que o habitual (58%) e apenas 19% irá para uma gama muito superior (19%).

Quanto ao orçamento, 40% conta alocar um ticket médio de 25 a 50 euros por pessoa para esta comemoração e 20% está disposto a gastar até 90 euros na última noite do ano.

Publicidade

Clemetine

“Mais do que uma marca de produtos menstruais eco-friendly, a Clementine pretende ser uma referência na educação menstrual e sexual”

KFC

KFC abre cinco restaurantes em dezembro