in

62% dos portugueses admite ter medo de sair após o surgimento da Covid-19

45% confessa mesmo ter cancelado planos devido à ansiedade causada pela socialização

Foto Shutterstock

62% dos portugueses admite sofrer de FOGO (Fear of Going Out – medo de sair), com maior ou menor frequência, desde o surgimento da pandemia, dois pontos percentuais acima da média europeia, revela um estudo da Free Now, levado a cabo através da sua aplicação nos vários mercados europeus em que opera, com o intuito de analisar os indicadores relacionados com o tão regresso à vida normal após o surgimento da Covid-19. Este inquérito foi aplicado na Alemanha, Áustria, Espanha, França, Irlanda, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido e Roménia, tendo sido consideradas válidas as respostas de 6.019 utilizadores.

Os países em que mais utilizadores dizem sofrer de FOGO são a Irlanda (71%) e o Reino Unido (68%). Por outro lado, França (54%) e Áustria (52%) apresentam uma maioria que indica não sofrer com esta síndrome.

 

Regresso à normalidade

45% dos utilizadores portugueses cancelou os seus planos devido à ansiedade criada por uma eventual socialização com outros, mas 55% diz nunca ter mudado o seu comportamento. Franceses (65%) e austríacos (57%) são os que mais se evidenciam por nunca terem alterado os planos.

36% dos portugueses aponta como a situação mais stressante as pessoas que fingem ter voltado tudo ao normal, enquanto 33% identifica o facto das pessoas não manterem a distância de segurança e 32% refere que o pior são as viagens em transportes públicos.

O nosso crescimento enquanto super app de mobilidade depende diretamente dos hábitos dos nossos utilizadores. Nesse sentido, e no seguimento de uma pandemia, que alterou muita coisa, procurámos conhecer quais os seus principais efeitos e a forma como ainda nos afeta e condiciona. Estamos numa posição privilegiada e algumas destas respostas confirmam aquilo que já vínhamos a observar, outras são surpreendentes e, no nosso ponto de vista, muito animadoras, por sentirmos que os portugueses são dos que estão com mais vontade de voltar à normalidade e recuperar o tempo perdido”, considera André Amaro, Head of Marketing da Free Now em Portugal.

68% dos portugueses quer recuperar o tempo perdido com a pandemia, realizando atividades sociais, seis pontos percentuais acima da média europeia. O país que mais se destaca neste ponto é Itália (78%). Apenas 25% dos portugueses quer socializar menos agora do que antes da pandemia, enquanto 36% confessa ter mais vontade de socializar agora do que antes.

As atividades que os portugueses revelam sentir mais falta são as reuniões com a família e amigos sem restrições (57%) e viajar (46%).

Publicidade

Mango

Mango assina primeiro acordo de financiamento relacionado com critérios de sustentabilidade

ASAE apreende mais de 1,3 milhões de ovos