in

Vendas dos Vinhos de Lisboa excedem recordes de 2018

Os produtores da Região Demarcada dos Vinhos de Lisboa arrancam com o período das Vindimas com grande otimismo, graças a uma qualidade promissora das uvas e ao crescimento continuado da certificação e das vendas na ordem dos 20%, pulverizando os recordes absolutos alcançados em 2018.

Por outro lado, a internacionalização da região dos Vinhos de Lisboa continua a sua trajetória ascendente, com a abertura de 10 novos mercados em 2019, com o aumento do número de exportadores, onde mais de metade dos produtores já exporta para fora da União Europeia, e pelo crescimento sustentado das vendas em mercados estratégicos.

O arranque das vindimas inicia-se agora e, segundo a CVR Lisboa, com uma tranquilidade adicional face ao ano anterior, decorrente da apólice coletiva de seguros de colheita que neste primeiro ano abrangeu cerca de 5.000 hectares, mais de 50% das vinhas certificadas da Região, e com um capital seguro de 20 milhões de euros (valor das uvas seguradas).

Apesar da previsão de quebra de produção de cerca de 10%, reina o otimismo e estamos seguros de que mais uma vez se confirmará a qualidade na diversidade que a região permite, algo que o mercado e os consumidores estão a procurar e a valorizar”, frisa Francisco Toscano Rico, presidente da Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa.

Sublinhe-se ainda que, para além das condições naturais que a própria região propicia, nos últimos 10 anos os vinhos da Região de Lisboa têm apostado na reestruturação das suas vinhas, com uma escolha de castas e de novos modelos de plantação direcionadas para a qualidade, sustentabilidade e competitividade.

Recorde-se que a Região Vitivinícola de Lisboa foi recentemente distinguida pela reconhecida revista Wine Enthusiast como um dos melhores destinos vínicos a visitar em 2019, e os seus vinhos continuam a sua trajetória de crescimento, com as exportações a ameaçar ultrapassar os 50% em 2019.

LG expande disponibilidade de máquinas de lavar roupa com IA e Direct Drive

Saída italiana pesa nos resultados da Auchan