in

Vendas consolidadas da Jerónimo Martins crescem 5,5%

As vendas consolidadas da Jerónimo Martins cifraram-se nos 10.738 milhões de euros, o que representa um crescimento de 5,5%.

Numa base comparável, o resultado líquido foi 266 milhões de euros, traduzindo-se num aumento de 12%. Neste período, o grupo investiu 295 milhões de euros, tendo 43% deste valor sido alocado à Biedronka.

A insígnia do Grupo Jerónimo Martins na Polónia registou um aumento de vendas de 10%. 67% das vendas do Grupo Jerónimo Martins devem-se à Biedronka, que conta com 2.700 lojas em território polaco.

O Pingo Doce, cujas vendas aumentaram 5%, contribuiu para 24,5% da faturação do grupo. Os produtos de marca própria, que comemora 25 anos, representaram 34,5% das vendas da insígnia.

Já o Recheio contou com a nova loja de Sines para contribuir para que as suas vendas aumentasse 5,5%. As gamas de marca própria do Recheio representam cerca de 21% das suas vendas totais. No total do grupo, o negócio cash & carry representa 6% das vendas totais do grupo.

“Neste terceiro trimestre, o desempenho de todas as companhias do Grupo saiu reforçado pela dinâmica comercial dos trimestres anteriores e pela consistência do foco colocado nas vendas. A Biedronka deu continuidade ao seu programa de melhoria da proposta de valor e de diferenciação da oferta, que se traduziu no sólido crescimento do cabaz médio. O Pingo Doce consolidou a sua posição de mercado e a sua liderança na preferência dos consumidores portugueses. Na Colômbia, a Ara chegou à região de Bogotá, sendo encorajadora a aceitação com que a nossa insígnia foi acolhida pelos consumidores na capital do país. O desempenho dos primeiros nove meses do ano valida a estratégia definida e assegura a concretização dos objetivos a que nos propusemos para 2016”, explica Pedro Soares dos Santos, presidente do Conselho de Administração.

Publicidade

Toshiba processada por grupo de investidores

Acer lança novos monitores com design ZeroFrame